Aguarde...

cotidiano

Live reúne 400 professores para discutir volta às aulas em São Carlos

Encontro virtual organizado por um vereador também contou a participação do secretário da Educação, médico da UFSCar e a chefe da Vigilância em Saúde.

| ACidadeON/São Carlos

Live contou com professores, médico da UFSCar, secretário da Educação, entre outros. Foto: Divulgação
 

O vereador Roselei Françoso (MDB) reuniu em um encontro online na noite de quinta-feira (6) cerca de 400 professores, além de outros profissionais da Rede Municipal de Educação, para debater com especialistas os riscos do retorno ainda em 2020 das aulas presenciais em São Carlos durante a pandemia de coronavírus.  

O encontro ao vivo foi transmitido pelo Facebook e contou com a participação do professor de Medicina da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), Bernardino Geraldo Alves Souto, que integra os Comitês de Covid-19 da universidade e da Prefeitura, a especialista em saúde pública aplicada à Educação Infantil, Damaris Gomes Maranhão, o secretário municipal de Educação, Nino Mengatti, e a chefe da Vigilância em Saúde, Crislaine Mestre.  

"Do ponto de vista epidemiológico é inviável o retorno às aulas presenciais neste ano", disse o professor e infectologista da UFSCar, Bernardino. Segundo ele, as recentes notícias de contaminação em uma casa de repouso e em um albergue infantil de São Carlos serviram como alerta. "É um sinal grande de que se abrir a escola a Covid entra fortemente", destacou.  

De acordo com ele, os cenários epidemiológicos do país, do Estado e de São Carlos não apresentam melhora. "Vêm piorando porque não existem medidas de combate à epidemia, o que existe são mecanismo de suportar a doença", explicou. Ele também fez uma crítica aos governantes que colocam as responsabilidades para conduzir a crise nas mãos da saúde, quando deveriam apresentar saídas institucionais com ações também em outras áreas.  

No entanto, Bernardino frisou a importância de os profissionais da educação discutirem alternativas de retorno às aulas presenciais considerando um cenário de viabilidade epidemiológica. "Hoje esse cenário não existe, mas é preciso se preparar para quando ele chegar, contemplando, inclusive, as preocupações sociais", detalhou. Para ele, o protocolo que está sendo elaborado pelos professores municipais, inclusive com plano de contingência, merece elogios.  

A especialista em saúde pública, Damaris Gomes Maranhão, que também chamou a atenção para a importância de um planejamento de retorno, destacou que a pandemia e o fechamento das escolas oficiais trouxeram temas antes pouco debatidos, como a existência de creches clandestinas em grandes cidades com São Paulo.  

Segundo ela, essa situação é preocupante. "Há registros na literatura de antes da Covid de mortes de crianças na Educação Infantil, seja por consequências naturais da vida, ou, em muitos casos, por estruturas inadequadas das escolas", contou.  

Damaris ressaltou ainda que a doença da Covid tem provocado um estreitamento cada vez maior entre as ações que envolvem a Educação e Saúde. "Não é fácil ter uma visão integrada do que é complexo e a aprendizagem infantil é muito complexa, envolve saberes das ciências da saúde, da pedagogia, da psicologia, antropologia", frisou.  

Para Damaris é importante que o poder público ofereça uma alternativa aos filhos dos trabalhadores. "Não estou advogando que temos que voltar a todo custo, estou querendo saber onde estão as crianças dos pais que trabalham e que não puderam parar de trabalhar presencialmente", disse.  

O secretário de Educação, por sua vez, foi enfático ao afirmar que "não é possível o retorno às aulas presenciais este ano". Ele disse que é preciso enfrentar a crise econômica e oferecer alternativas às empresas e pais que precisam, mas não colocar em risco a vida de alunos e profissionais da educação.  

Nino também chamou a atenção para a falta de estrutura diante de um possível retorno durante a pandemia. "O impacto da volta não é pequeno. Precisaríamos de imediato de 3 a 4 milhões de reais para oferecer a estrutura necessária às escolas", explicou. Segundo ele, seria necessário dobrar o número de funcionários de limpeza, por exemplo, para atender as novas exigências sanitárias e de higiene.  

Já a chefe da Vigilância em Saúde de São Carlos disse que é fundamental promover discussões sobre os protocolos para quando as aulas presenciais retornarem. "Ainda desconhecemos muito sobre essa doença, principalmente com relação às crianças", destacou. Para Crislaine, embora já esteja evidente que os professores estão trabalhando mais remotamente do que quando as aulas eram presenciais, o retorno ainda é preocupante.  

De acordo com ela, de março até agora 64 crianças foram contaminadas pela Covid e apenas 4 precisaram de internação em São Carlos, o que é um número pequeno se comparado aos de adultos. "O que preocupa é que boa parte das crianças é cuidada pelos avós e se elas estiverem circulando pelas escolas irão levar o vírus para suas casas", explicou.  

"Ninguém esperava tudo o que estamos passando com essa pandemia. Temos que aprender muitas coisas e, neste sentido, fiquei satisfeito com o resultado da reunião porque permitiu a um grande número de pessoas ligadas à educação socializar a informação e nos ajudar a tomar decisões", avaliou Roselei. "Estamos num processo de aprendizado e de novas decisões e isso requer muito diálogo para amadurecer as ideias", observou.  

"O Bernardino colocou um dado assustador, essa vacina está prevista para junho de 2021 e ainda não sabemos o quanto será eficaz", avaliou Roselei. "Portanto, mais do que nunca precisamos debater e nos preparar para o futuro utilizando todos os recursos que dispomos", frisou o parlamentar.  

ALTERNATIVA - Durante a live, Bernardino informou que propôs à Regional de Saúde de Araraquara a elaboração de um plano alternativo de Vigilância Epidemiológica para combater à Covid-19. "Já fizemos dois encontros e agora iremos reunir 24 municípios da região para reuniões durante toda a semana", disse. "Infelizmente o cenário atual é ruim e não temos nenhum movimento governamental para conter o crescimento", lamentou. Para assistir a reunião completa acesse a página www.facebook.com/roseleifrancosovereador ou direto no link, https://bit.ly/31sbBxA.


Mais do ACidade ON