Aguarde...

cotidiano

São Carlos tem aumento de homicídios, agressões e roubos em setembro

Dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) apontaram quatro assassinatos no mês. Segundo a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), todos foram esclarecidos

| ACidadeON/São Carlos

Crime aconteceu em 11 de setembro no bairro Castelo Branco, em São Carlos (SP). Foto: Divulgação

Dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) apontaram um aumento de homicídios dolosos e roubos em São Carlos (SP). Em setembro, foram quatro assassinatos, sendo dois feminicídios.  

O levantamento apontou que setembro e julho foram os meses com mais assassinatos: quatro. Em agosto, nenhum homicídio doloso foi registrado. Até o momento, a cidade contabiliza 15 vítimas.  

Os casos de lesão corporal dolosa também tiveram aumento de 19,5%, passando de 46 ocorrências em agosto para 55 em setembro, maior número registrado neste ano. Também foram registradas duas tentativas de homicídio, mas nenhuma de latrocínio.  

Já as ocorrências de roubo registraram um aumento de 37,9%. Em agosto foram 29 casos, já em setembro foram, 40. No total, já foram contabilizados 294 roubos na cidade.  

Vítimas
O primeiro homicídio do mês aconteceu em 11 de setembro, no bairro Castelo Branco. Aparecida de Fátima Poli Gambim, de 60 anos, foi assassinada a facadas pelo marido após se recusar a ter relações sexuais.  

Segundo a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), o autor do crime teria chegado em casa embriagado após ter ido a um bar assistir jogo de futebol. Ele foi preso em flagrante por homicídio triplamente qualificado.  

No segundo caso, a vítima Letícia Sobral, de 21 anos, foi morta em 13 de setembro, no Parque Delta. Seu corpo foi encontrado com um ferimento na cabeça.  Segundo o Boletim de Ocorrência, ela foi atingida na cabeça por algum instrumento corto contuso.

De acordo com a DIG, uma testemunha viu Yago Donizeti Nogueira, de 28 anos, agredindo a jovem com socos e joelhadas, além de pisotear a cabeça da jovem. Ele também teria ido a casa de um amigo com um comportamento alterado e confessado que matou Letícia. No fim de setembro, a DIG esclareceu o crime e pediu a prisão preventiva do rapaz, mas ele segue foragido até então. 

O terceiro caso do mês foi o de Michel Fernando de Oliveira, de 31 anos, assassinado a tiros após uma discussão com o primo de sua namorada no Jardim Gonzaga. De acordo com a DIG, o crime foi esclarecido e o autor dos disparos está preso temporariamente. A prisão preventiva deve ser decretada em breve. 

Já o último caso vitimou o jovem José Carlos Pereira da Luz, de 23 anos, que foi morto com oito facadas após uma briga em um bar no bairro Antenor Garcia.  

A DIG informou que o autor foi identificado e a prisão preventiva também foi solicitada, mas ainda aguarda a decisão da Justiça. Portanto, ele não está preso e ainda não é considerado foragido.

Casos de setembro
Todos os casos registrados em setembro foram esclarecidos pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG). Destes, dois autores não foram presos até o momento.

"Infelizmente foi um mês atípico onde o número de homicídios aumentou, mas todos foram devidamente esclarecidos pela Polícia Civil", explicou De Aquino.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON