Aguarde...

Economia

Cancelamento de eventos gera prejuízo de R$ 100 mil a empresário

Medidas restritivas determinam que serviços não essenciais sejam suspensos em São Carlos (SP).

| ACidadeON/São Carlos

Cancelamento de eventos gera prejuízo de R$ 100 mil a empresário. Foto: Arquivo Pessoal

Eventos cancelados e estabelecimentos fechados. Os impactos do coronavírus já começaram a aparecer entre empresários de São Carlos (SP). Na área de eventos, os prejuízos já passam de R$ 100 mil.  

O empresário Jonas Dezinho é proprietário da Som da Festa, que oferta os serviços de DJ, iluminação e imagem para todos os tipos de eventos. Em menos de um mês, já foram 42 eventos cancelados.  

"Na minha empresa, praticamente todos foram cancelados ou adiados até o fim de maio, entre casamentos, formaturas, eventos corporativos e aniversários de 15 anos. Abril e maio são meses de muito trabalho, um dos melhores do ano", comentou.  

Ele precisou dar férias de 30 dias para os funcionários, mas o medo é precisar aumentar ainda mais esse prazo. Enquanto isso, Dezinho segue orientando os clientes para os próximos meses.  

"Clientes de junho entraram em contato comigo, preocupados com a situação, já pensando em cancelar. Orientei a todos manterem a calma e esperar um pouco antes de tomar alguma decisão", disse.  

Com os prejuízos chegando a R$ 100 mil, o empresário comenta que não pode se dar ao luxo de não se preocupar com a situação. "Penso nos meus funcionários, família, contas que temos que pagar porque são várias. O plano é somente rezar para que tudo isso passe logo para que o prejuízo não piore", desabafou.  

Cancelamento de eventos gera prejuízo de R$ 100 mil a empresário. Foto: Arquivo Pessoal

Adiamentos e mais prejuízo
Entre os buffets da cidade, o cancelamento não é frequente porque há possibilidade de adiamento e remarcações, mas o prejuízo também é alto.
No buffet Supreme Festas, do empresário Maylon de Araújo Lemes, não houve nenhum cancelamento, mas já foram oito casamentos adiados.  

"Já deixamos de faturar uns R$ 40 mil, todas as noivas do mês de abril adiaram, e as de maio só falta um adiar. Estava com um evento no sábado, já comprei todas as coisas do mercado e a noiva me disse que iria adiar. Infelizmente não está fácil, não sei o que vamos fazer", comentou Lemes.  

As remarcações aliviam o nervosismo do prejuízo, mas causam um outro problema: o medo de não conseguir atender a demanda. "O que está mais difícil e conseguir datas com todos os profissionais. Elas estão optando por casar de sexta e fica sobrecarregado. Em setembro vou ter 8 casamentos, para o nosso segmento é muito", disse o empresário.  

Mas mesmo tentando remanejar os eventos, Maylon entende a importância desta medida restritiva. "Uns 20 funcionários freelancer como garçons, copeiras e outros vão deixar de faturar, mas a saúde é em primeiro lugar. Não posso expor minha vida e nem dos meus funcionários", disse ele.

Mais do ACidade ON