Aguarde...

Economia

Sem aulas, autônomos sofrem queda no faturamento em São Carlos

Comerciantes que dependem da movimentação de alunos relatam dificuldades

| ACidadeON/São Carlos

Sem aulas, autônomos sofrem queda no faturamento em São Carlos. Foto: Marlon Tavoni/EPTV
Com a suspensão das aulas presenciais devido à pandemia do novo coronavírus, autônomos que dependem do funcionamento de escolas e universidades sofreram queda no faturamento em São Carlos (SP).

A retomada das aulas a distância está prevista para o dia 8 de setembro, mas a data pode ser alterada conforme os índices de saúde. Enquanto isso, prestadores de serviços precisaram se adaptar.

Sem alunos na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), há quase quatro meses o campus está vazio e a cantina fechada. Com isso, o dono do estabelecimento teve queda de quase 100% na renda.

"Hoje é 100% sem movimento, sem faturamento. Está sendo um impacto muito grande arcar com os compromissos que a gente tem", contou Aldary Borges Costa à EPTV Central.

Prejuízo no transporte
A motorista de van escolar Daniela dos Anjos levava 60 crianças por dia e precisou fazer acordos com os pais para continuar recebendo 50% da mensalidade.

"Não são todos que estão pagando. A grande maioria, infelizmente, não. Lógico que a gente acaba entendendo, conversando, tentando fazer da melhor maneira...", explicou.

O motorista escolar Emerson Vergara, que antes transportava alunos, agora leva frutas, verduras, legumes e ovos. Para contornar a crise econômica, ele montou uma barraca com os itens a venda.

"O ganho aqui é muito menor do que a gente tinha na van. Dinheiro para pagar as contas atrasadas ainda não dá, mas pelo menos consigo levar o sustento para a minha esposa e meus dois filhos", disse.