Publicidade

politica

Nova licitação do transporte reduz número de ônibus em São Carlos

Por conta da redução de cerca de 20% da frota, o tempo de espera do usuário no ponto deve aumentar na cidade; entenda

| ACidadeON/São Carlos -

Ponto de ônibus em São Carlos. Foto de arquivo: Divulgação/ Prefeitura de São Carlos
 

A gestão do prefeito Airton Garcia (PSL) decidiu reduzir em cerca de 20% o número de ônibus que devem circular na cidade a partir de 2022. A previsão de diminuição da frota estará no novo edital de concessão de transporte coletivo, que deve ser publicado em outubro.  

De acordo com o secretário de Transporte e Trânsito, Coca Ferraz, atualmente a cidade conta com 50 linhas e 105 ônibus, mas o número de veículos deve cair para 87. "O fato é que o transporte coletivo, não só em São Carlos, mas no país como um todo, vai ter uma queda, mesmo depois de finalizada a pandemia, em torno de 30%. O sistema de transporte coletivo de São Carlos e do país vão operar com 70% da demanda que operavam no passado. Se opera com uma demanda menor, você precisa reduzir a oferta", explicou.   

No entanto, salientou que, caso essa previsão não se confirme e o número de usuários do transporte público volte a subir, a prefeitura poderá modificar o contrato e aumentar a quantidade de ônibus. 

Já em relação ao número de linhas, Ferraz afirmou que não haverá redução, mas o tempo de espera dos usuários vai aumentar. "Nós não vamos eliminar nenhuma linha, todas as linhas vão continuar operando. As linhas que têm poucos carros vão continuar com o mesmo número de carros, e as linhas que tem um número de carros maior, que o ônibus passa a cada 10 minutos no horário de pico, o ônibus vai passar a cada 15 minutos".   

Secretário de Transporte Coca Ferraz (Foto de arquivo: Amanda Rocha)

Internet, câmeras e painel de monitoramento de pontualidade  

Ainda segundo o secretário de Transporte e Trânsito, a cidade também vai exigir no edital que os ônibus disponibilizados pela empresa que vencer a licitação possuam Wi-Fi, câmeras internas e GPS.  

Além disso, deverá disponibilizar um painel que mostre em tempo real a localização dos veículos. Por meio desse equipamento, a prefeitura poderá monitorar diariamente o índice de pontualidade dos ônibus. 

Sem ônibus elétricos 

Questionado sobre a possibilidade de a cidade exigir uma porcentagem de ônibus elétricos, Ferraz afirmou: "Nós não temos ainda uma tecnologia consolidada. Outras cidades estão fazendo tentativas e, no momento que for possível, vamos adotar em São Carlos". 

"O objetivo principal é sempre ter ônibus com o menor nível de poluição possível, de contaminação atmosférica, além de usar energia renovável, como é o caso da energia elétrica", complementou. 

Preço do combustível pode impactar valor da tarifa? 

O secretário de transporte também falou sobre como a variação no valor do combustível pode impactar no valor da tarifa de ônibus. "O contrato que nós vamos fazer prevê que no caso de um aumento acima do normal, ou uma diminuição acima do normal, isso implica em diminuição ou aumento do subsídio ou da tarifa, sendo a decisão final do prefeito Airton Garcia".

Licitações fracassadas  

Sem contar com uma empresa operando por meio de licitação desde 2014, quando a Justiça impediu a renovação do contrato com a Athenas Paulista por mais 10 anos, a cidade já fracassou em cinco processos licitatórios no período. 

Desde 2016, a Suzantur realiza o transporte coletivo na cidade por meio de contratos emergenciais. 

De acordo com Coca Ferraz, quatro dessas licitações foram abertas no primeiro mandato do Airton Garcia (PSL), sendo que duas foram conduzidas pelo departamento jurídico da prefeitura e acabaram impugnadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP), e as outras duas pela Secretaria de Transporte e Trânsito.

Em relação às últimas, o secretário explicou terem fracassado pelo não atendimento das exigências dos editais por parte das empresas participantes. "Na primeira licitação eram requisitos um pouco mais fortes, nós reconhecemos, mas não podemos ter qualquer empresa operando em São Carlos. Precisa ser uma empresa que tenha um certo poder econômico para fazer frente a aquisição de ônibus e despesas em geral que o transporte público tem", disse.

Previsão para o fim da licitação

A previsão do secretário de Trânsito é que até o final de 2021 já tenha a empresa vencedora da licitação. Desta forma, ela deve iniciar as operações em São Carlos no começo do ano que vem. 
 
Leia mais:  
 

Mais notícias


Publicidade