Aguarde...

Esse ano votaremos nos

Eleições

Estudante desiste do Enem por 'lotação' em sala: "Não me senti segura"

Jovem alegou que a sala de provas não tinha distanciamento entre os estudantes; falta de fiscalização também foi queixa de outros participantes

| ACidadeON/São Carlos

A estudante Bárbara Horta Barbosa Yoshicava desistiu do Enem neste domingo (17). Foto: CBN São Carlos

A jovem Bárbara Horta Barbosa Yoshicava, desistiu da prova do Enem neste domingo (17), em São Carlos (SP), após pela falta de protocolos sanitários dentro do local de prova. "Não me senti segura", disse. A falta de fiscalização também foi queixa entre outros participantes. 

Bárbara tem 16 anos e decidiu prestar o vestibular para começar a se preparar para os anos seguintes. Porém, quando chegou à sala, percebeu que a realidade era diferente o que havia sido divulgado.  

"Quando eu entrei na sala, depois de conferir todos os meus documentos, eu sentei e vi que na verdade ela estava muito cheia e tinham poucas cadeiras livres, muita gente estava sentada sem nenhuma cadeira livre entre si. O espaço entre as cadeiras lateralmente era mais ou menos um metro, e nas da frente praticamente não tinha espaçamento nenhum", disse.  

Foi neste momento que ela decidiu sair da sala e não realizar a prova. "Não me senti segura com esse distanciamento, e como sou treineira não teria problemas, então decidi não me arriscar. Achei que seria mais seguro, que ia ter mais espaçamento, mas não tinha", comentou.  

A decisão da jovem foi apoiada por sua mãe, Adriana Maria Barbosa, que contou que já tinha conversado com a filha sobre essa possibilidade. "Considerando que pode retirar a máscara para comer e beber na sala, achamos que era um risco desnecessário neste momento. Fiquei aqui fora esperando, confiamos no senso crítico dela. Nós falamos a gente vai ficar te esperando, e se não achar que está seguro, a gente vai embora", contou Adriana. 

De acordo com ela, Bárbara também prestou a prova da Fuvest na semana anterior, mas não teve esse problema em relação aos protocolos sanitários. "Estava tudo seguro, distanciamento respeitado, não comia ou bebia dentro da sala, todos os cuidados de higiene foram seguidos lá", disse a mãe.  

O portal ACidade ON solicitou retorno do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) sobre a situação, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.   


Problema já temido
A falta de rigor nos protocolos sanitários já era um problema temido entre especialistas, estudantes e até governantes. A situação da pandemia causou o adiamento do Enem 2020, e agora sendo aplicado no pior momento da pandemia no país, também gerou diversos pedidos de cancelamento na Justiça.  

Segundo especialistas, as condições do local de prova são decisivas para diminuir o risco dos estudantes pegaram a doença durante a prova. O ideal é que os ambientes devem ser amplos e ter ventilação natural. Poder retirar a máscara na sala para se alimentar também poderia se tornar um problema.  

De acordo com a Folhapress, o exame começou neste domingo (17) com a suspensão em todo o estado do Amazonas e em dois municípios de Rondônia. Ao todo, 58 municípios não terão a realização das provas.

Mais do ACidade ON