29 de fevereiro de 2024
- Publicidade -
ON Run

Especialista em corrida fala sobre a importância do treino

Ronaldo Dias explica qual é o momento certo de procurar um profissional de educação física para supervisionar seu treino

Ronaldo Dias explica qual é o momento certo de procurar um profissional de educação física para supervisionar seu treino. (Foto: Reprodução/ Freepik)

Conversamos muito sobre a importância do treino e, talvez, fomos até repetitivos sobre o assunto. Mas faltou dizer que, para ser eficiente, a prática precisa ter a presença de um profissional de educação física, que seja de preferência especialista em corrida.

Quando chega a hora do treino, sabemos que muitas pessoas começam a praticar corrida sozinhas e, em alguns casos, sem orientação ou com supervisão de pessoas que não têm conhecimento e usam suas experiências como atletas para orientar outros corredores. 

Se você está se lesionando com frequência, não está evoluindo ou se encontra desmotivado com a sua performance, certamente esse é o momento para procurar uma orientação especializada em corrida. Não é possível encontrar um único atleta que tenha conquistado grandes resultados sem um treinador e, por isso, essa parceria é determinante para o sucesso não apenas no esporte, mas também na vida.  

LEIA TAMBÉM 

Corrida de São Silvestre: 35 mil atletas são reunidos em SP 

Conheça a importância da preparação física para a São Silvestre

Afinal, o treinador dedica sua vida a cuidar e descobrir os métodos e os meios que vão levar seus alunos ao sucesso. Neste caso, a função do atleta é confiar, treinar e cobrar, caso não consiga alcançar bons resultados, pois isso vai ajudar a melhorar seu desempenho nas demandas em que apresenta mais dificuldades. 

Em alguns casos, essa parceria dura muitos anos e até décadas. Os principais atletas brasileiros tiveram poucos treinadores ou apenas um. São esses corredores que detém os melhores resultados, o que nos leva a crer que essa espécie de “casamento” não tem relação apenas com questões de desempenho, mas também relações cognitivas, afetivas e até sociais. 

- Publicidade -

LEIA MAIS 

Atos golpistas do 8 de janeiro completam um ano

plugins premium WordPress