A, até então, partida mais importante do ano, será em casa

Seria ultrajante e desmerecedor falar que a Ferroviária entrou para decidir o jogo em casa, mesmo que uma das principais armas grenás seja a sua residência

| ACidadeON/Araraquara -

Ferroviária e Brasiliense ficaram no empate sem gols na primeira decisão (Foto: Divulgação/Tiago Pavini/AFE)
 

"É como eu disse: o jogo foi 0x0, agora temos outra oportunidade [...] a gente tem que aproveitar melhor a nossa posse de bola e aproveitar as oportunidades de gols". Foi isso que Elano disse em coletiva de imprensa após o fraco empate no primeiro jogo pelos 16 avos de final. 

Em um jogo pouco inspirado, a Locomotiva visitou a equipe brasiliense e voltou apenas com o empate para Araraquara, deixando a temida decisão para a Fonte Luminosa assistí-la bem de perto.  

Como dito pelo técnico grená, "eu joguei para ganhar o jogo". Essa postura da Locomotiva foi perceptível em certos momentos, como na cabeçada de Léo Rigo, no chute desperdiçado por Luan e na indignação dos jogadores com o acachapante pênalti não marcado no fim do jogo.  

Porém, nos demais instantes, a atuação grená não foi digna da segunda melhor campanha da primeira fase. Seria ultrajante e desmerecedor falar que a Ferroviária entrou para "decidir o jogo em casa", mesmo que uma das principais armas grenás seja a sua residência.  

Mas, mesmo que alguns jogadores não tenham feito seus melhores jogos, como foram os casos de Júlio Vitor, Bernardo e Ian Luccas, jogadores como Jefinho, Marquinhos e Bruno Santos foram importantes nos momentos cruciais da Ferroviária no jogo.  

O próximo jogo, apelidado popularmente de "jogo de volta", será em Araraquara. Ou seja, para o, até então, jogo mais importante do ano, será utilizada a segunda arma afeana mais poderosa nessa série D: a sua arena.  

Isso pois, a detentora da liderança é a sua defesa, menos vazada do torneio, com cinco gols. Aliás, mais uma vez o sistema defensivo se mostrou intransigível na partida em Brasília (DF).  

Como última ressalva, que essa temporada seja a última na Série D, um torneio que aposto com todas as fichas: nenhum afeano em sã consciência teme pensar em disputar no ano conseguinte.