Aguarde...

O jogo entre Ferroviária e Marcílio Dias não deveria ocorrer

Não existe a possibilidade de se falar em justiça desportiva quando se pratica qualquer modalidade em meio a uma pandemia

| ACidadeON/Araraquara

Hoje (13), a Ferroviária enfrentará o Marcílio Dias, que viveu um surto covid-19 durante essa semana. (Foto: Divulgação/Tiago Pavini/AFE)
Hoje (13), a Ferroviária entrará em campo para uma partida que não deveria acontecer.  

Durante essa semana, o Marcílio Dias, adversário da Locomotiva na segunda fase da Série D, viveu um surto de covid-19 dentro do clube. Foram 17 casos positivados, entre eles, o treinador Waguinho Dias e outros dez jogadores do time, que desfalcarão o Marinheiro na partida de daqui a pouco, em Araraquara. Com isso, o time catarinense será comandado pelo coordenador técnico, Gelson Silva -- porque o auxiliar técnico, Carlos Alberto Teco, também está com o novo coronavírus --, que terá à sua disposição 17 jogadores: 11 titulares e 6 reservas.

Entre os desfalques por covid-19, estão Magrão (capitão do time), Daniel Pereira, Marllon, Anderson Ligeiro e Felipe Pará, considerados titulares no time do Marcílio Dias.

Há quem diga que a partida deveria ocorrer, observando o protocolo da CBF e a jurisprudência da entidade com episódios similares que aconteceram no futebol brasileiro. Flamengo, Palmeiras, Santos, entre outros times, não tiveram seus jogos adiados, mesmo que estivessem passando por uma situação descontrolada em relação ao contágio interno do novo coronavírus. Nem mesmo o São Bento, na Série C, que precisou escalar um goleiro para jogar na linha, teve seu jogo adiado. Por isso, o embate entre Ferroviária e Marcílio Dias também não deveria ser prorrogado como não foi.

Entretanto, um outro ponto de vista, que prioriza a sensibilidade sobre a burocracia, nos aponta para a necessidade de sermos empáticos, porque não existe a possibilidade de se falar em justiça desportiva quando se pratica qualquer modalidade em meio a uma pandemia. O Marcílio Dias virá desfalcado para Araraquara, como a covid-19 também desfalcou a Ferroviária em Marília, na semana passada, pela Copa Paulista, e em virtude de uma situação calamitosa, que não é só do esporte, mas de todo o país, um time poderá ter seu planejamento para a temporada jogado na lata do lixo por conta de uma irresponsabilidade que é coletiva. O surto de covid-19 vivido pelo Marcílio Dias é um problema de todos nós.

Por isso, a única decisão sensata seria adiar o jogo.

Nesse sentido, seria de bom tom que a própria Ferroviária se solidarizasse com o momento vivido pelo seu rival e, ao menos, concordasse com a possibilidade de adiamento da partida, mesmo que isso não gerasse nenhum efeito sobre a decisão da CBF. No futebol brasileiro, muito se reclama do individualismo dos clubes no momento de definirem, por exemplo, a criação de uma Liga, a divisão das cotas dos direitos de transmissão, o calendário e o formato das competições, entre tantas outras coisas. Pelo jeito, a saúde pública também entrou no balaio. A omissão da Ferroviária retroalimenta esse ciclo vicioso do futebol brasileiro.

No mais, para a partida que não deveria acontecer, a provável Ferroviária é: Saulo; Lucas Mendes, Matheus Salustiano, Max (Salles) e Bruno Recife; Nando Carandina, Pio (ou Everton Dias, ou Fellipe Mateus, ou Branquinho) e Tony; Anderson Rosa, Fernandinho e Tiago Marques.

No segundo tempo do jogo de ida, Paulo Roberto Santos mudou o posicionamento de Tony, convertendo-o em um meio-campista mais avançado, com liberdade de movimentação. Assim, na partida de logo mais, Tony pode cumprir essa função e Pio, ou Everton Dias, jogarão como volantes junto com Nando Carandina. Do mesmo modo, se Tony continuar atuando mais recuado, Fellipe Mateus pode entrar, ou Anderson Rosa pode ser deslocado para essa função, o que levaria Pio para o banco de reservas. Se quem mudar de posição for Anderson Rosa, Branquinho deve voltar ao time titular.

Com o empate por 0x0 na partida de ida, a Ferroviária precisa de uma vitória para se classificar. Como não há gol qualificado na Série D, qualquer empate no jogo de hoje levará a disputa para os pênaltis. Em caso de vitória do Marcílio Dias, a Locomotiva estará eliminada.

Transmissão: a partida terá transmissão da CBN Araraquara (95.7), a partir das 17h55. A bola rola às 18h.

Mais do ACidade ON