Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Conheça a Geloteca, a biblioteca comunitária de taxista do São Geraldo

O pai que dá um livro na mão de uma criança dificilmente vai buscá-la numa delegacia, diz o idealizador

| ACidadeON/Araraquara

 

Vitória lê na Geloteca: biblioteca comunitária fica em ponto de táxi no São Geraldo (Amanda Rocha/ACidadeON)

 Quem passa pelo ponto de táxi na Igreja São Geraldo, Zona Norte de Araraquara, já deve ter visto um eletrodoméstico que de cara nem deveria estar ali. É curioso por se tratar de uma geladeira (desligada, claro!) repleta de livros e gibis. Na geração do digital, o impresso ainda ganha destaque com a "Geloteca", idealizada pelo taxista Marcelo César Silva, de 47 anos, que além de trazer e levar clientes com o seu carro, agora busca e traz livros também. 

O material é doado por amigos e interessados em contribuir com o acervo da inusitada "biblioteca" urbana. "A ideia nasceu de uma conversa com meu cunhado, que ia descartar a geladeira quebrada, sem motor. Então eu pedi para mim porque tinha um projeto em mente: fazer uma "geloteca", uma geladeira-biblioteca-comunitária e colocar no ponto de táxi que trabalho", diz.

No modelo quem quer, faz; assim, há cerca de cinco meses nascia a "Geloteca", projeto que "literalmente" colocou a geladeira para funcionar de novo. Marcelo passou a pedir livros para amigos e para a comunidade através das redes sociais. Eles uniram aos gibis e livros que mantinha em casa da época em que lia para os filhos pequenos. Para Marcelo, "a leitura quando exercitada desde criança pode mudar a vida das pessoas".

E a experiência veio de casa. Os filhos, que sempre foram estudiosos, hoje são estudantes universitários. Um exemplo a ser seguido pelos mais jovens. A estudante Vitória Gomes Silva, tem 11 anos, e mantém o bom hábito da leitura. Adepta da ideia ela visita semanalmente a "Geloteca" e garante: sempre sai de lá emprestando um livro. "Minha mãe sempre me incentivou a ler e peguei o gosto. Gosto de ler livros de aventura e gibis da Turma da Mônica."

O pai da estudante, o comerciante José Carlos Gomes Juliano, 41, garante que o bairro abraçou a ideia. E melhor: tem colaborado. "É uma iniciativa muito boa, a Vitória está lendo muito livros e revistinhas e o projeto está sendo bem aceito aqui no bairro. O pessoal tem doado livros e respeitado, ninguém tem feito bagunça", reforça.

Mais gelotecas pela cidade
Para o taxista e idealizador do projeto na cidade, o público alvo são as crianças, mas todo o público e seu acervo são aceitos neste espaço democrático de leitura e aprendizado. Tanto que, segundo ele, seria ideal expandir a Geloteca para bairros periféricos da cidade. Imagine esse projeto em regiões mais distantes do Centro como o conjunto habitacional Valle Verde, Jardim das Hortênsias, Jardim Cruzeiro do Sul, entre outros.

O modelo é social, gratuito, mas pode contar com apoio do Poder Público ou de empresários que topem abraçar o projeto levando a Gelotecas para outros bairros. "Um local ideal para começar seria as UPA. Eu acho bem melhor dar um livro na mão de uma criança do que uma arma. O pai que dá um livro na mão de uma criança dificilmente vai buscá-la numa delegacia", reflete o taxista engajado na causa social.

E você ficou curioso em conhecê-la? Para visitar ou contribuir, basta passar no ponto de Taxi da Igreja São Geraldo. Ele fica na Avenida São Geraldo, 1090.  

VEJA VÍDEO 



Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON