Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Araraquara reciclou mais de 2 toneladas de lâmpadas fluorescentes

Entidade recolheu na cidade mais de 15 mil unidades de lâmpadas desse tipo em três pontos de coleta

| ACidadeON/Araraquara

 

Lâmpadas fluorescentes devem ter destinação correta (Foto: Denny Cesare/Código 19)

Desde de 2018, Araraquara conta com programa de logística reversa para a coleta adequada de lâmpadas fluorescente domésticas. A iniciativa é liderada pela Reciclus, uma empresa criada pelos principais importadores desse tipo de lâmpada, já que o Brasil não é produtor.

Em um pouco mais de um ano e meio, a entidade recolheu na cidade 2.329 quilos de lâmpadas desse tipo em três pontos de coleta. Foram 15.937 unidades. Esse produto é composto por vapor de mercúrio, em elemento químico bastante perigoso para o meio ambiente e para a nossa saúde, como explica Gabriel Monte é analista de sustentabilidade da Reciclus.

"A importância disso se dá através dos inúmeros problemas que tivemos com o descarte incorreto das lâmpadas com um componente altamente tóxico, que é o mercúrio e se descartado de maneira incorreta no meio ambiente pode acarretar diversos problemas tanto para a própria natureza, quanto para o homem. O mercúrio é um metal altamente tóxico, que se causa problemas no sistema nervoso e é um metal altamente persistente no qual qualquer produto ou alimento consumido pelo ser humano, se ele estiver contaminado com mercúrio eventualmente o próprio ser humano que consumiu acaba por se contaminar", explica.

Para evitar a contaminação, o descarte adequado é muito importante. De acordo com o analista, todas as empresas que comercializam lâmpadas fluorescentes são obrigadas a coletar o produto queimado ou danificado, por exemplo.

Porém, a prática começa dentro de casa! É o próprio consumidor que precisa levar a lâmpada quebrada, queimada ou com defeito para ser descartada de forma correta. O lixo comum não é o local adequado para o descarte.

"Qualquer estabelecimento que vende lâmpadas ele tem por obrigatoriedade estar recebendo elas de volta e nascemos para dar apoio para esse segmento. Nós colocamos um móvel coletor dentro do local e ele é voltado para o descarte do consumidor doméstico. Então a própria população do entorno do estabelecimento ou cliente da loja ele pode muito bem pegar a lâmpada após uso, seja queimada, ou vai trocar por outra tecnologia, mesmo quebrada, ele pode voluntariamente ir até esse ponto de entrega e fazer o descarte lá", afirma.

De acordo com a Reciclus, apenas as lâmpadas de uso doméstico, como as fluorescentes compactas e tubulares; de vapor de mercúrio, sódio ou metálico; e luz mista fazem parte desse projeto. Não há limite para descarte, desde que seja realizado por consumidor doméstico. Após coletadas, as lâmpadas vão para a reciclagem. Cada componente vai para um lugar diferente.

"Posteriormente essas lâmpadas são encaminhadas para nossa central de tratamento, são diversos recicladores que atuam no Brasil e tem os seus subprodutos separados e destinados ao setor empresarial, então no caso do vidro das lâmpadas eles são triturados e encaminhados para indústria de cerâmica, os terminais de ferro e alumínio são fundidos e encaminhados a indústria automotiva e o pó fosfórico, já livre de mercúrio é encaminhado para o processamento. E o próprio mercúrio é recuperado ao seu estado através do Ibama para as indústrias de cloro", finaliza.

Em fevereiro, segundo a Reciclus, a coleta em todo o Brasil completou 1 milhão de quilos de lâmpadas fluorescentes descartadas após o uso. Em Araraquara, as lâmpadas podem ser descartadas nas empresas: Comercial Leal, na Sua Ferdinando Biagione, nº 1.916, Santa Angelina; no supermercado Extra, na Avenida José Bonifácio, nº 483, ou na loja Jabu, que fica na Avenida Maria Antônia Camargo de Oliveira, nº 2.965.

Mais do ACidade ON