Aguarde...

cotidiano

Pandemia derruba estoque do banco de leite de Araraquara

Segundo semestre será prejudicado caso não aumento o número de doadoras

| ACidadeON/Araraquara

Banco de Leite de Araraquara (Fotos: Amanda Rocha)
"É um gesto de amor, algo muito gratificante para mim". Este sentimento é o da advogada de 37 anos, Aline Leandro da Silva, mãe de um bebê de quase cinco meses e, desde que deu a luz, faz questão de doar o leite materno.

"Eu faço essa doação, pois sei que posso salvar vidas. Ela é muito importante, pois sei que tem muito bebês na UTI e que não podem ser alimentados por suas mães", afirma Aline.  

A dona de casa de 26 anos, Daiane Oliveira de Faria também é doadora de leite materno e há dois meses contribui com o banco de leite. Ela começou doando um litro por semana e hoje já consegue doar três litros e meio de leite. Todos os dias separa o leite materno para doar.

"Eu resolvi doar, pois muito leite e é muito bom saber que está ajudando muitos bebês. Esse era um leite que seria descartado, então, se está sobrando, por que não doar?!", lembra Daiane.

Daiane e Aline estão entre as poucas doadoras do banco de leite humano, que funciona na maternidade gota de leite de Araraquara. Por conta da covid-19 o estoque está baixo. Antes da crise, o banco de leite recebia aproximadamente 15 litros por semana, com a doação de pelo menos 25 doadoras.

Hoje, este número caiu quase pela metade. De acordo com a nutricionista responsável pelo banco de leite, Mayara Perna Assoni Alarcon, o impacto desta redução será sentido, principalmente, no próximo semestre.

"Para os meses de agosto e setembro, temos pouco leite ainda. Temos por volta de dez litros, que não é suficiente. Esse leite humano é priorizado para bebês com extremo baixo peso, internados na UTI Neonatal daqui da nossa maternidade", explica.

Na maternidade Gota de Leite, atualmente, dez recém nascidos recebem o leite humano, entretanto, se houvessem mais doações, mais bebês seriam assistidos.

"O ideal era que todos os bebês recém nascidos recebessem apenas leite humano, mas infelizmente isso não é possível, priorizamos o leite para os prematuros extremos"

Para doar é simples, basta uma única visita presencial para fazer o procedimento de triagem, cadastro e realização do exame de sangue. Depois de incluída na lista, a doadora não precisa mais sair de casa porque a equipe vai até o domicílio para fazer a coleta, com todo o aparato de segurança: máscara, avental e outros epis.

"Durante as coletas, as questões de higiene são as mesmas, mas nesse período de Pandemia, as mães que apresentarem qualquer sintoma da síndrome gripal ou pessoas que tiveram contato com pessoas que tiveram a covid19, não podem doar", ressalta.

O leite materno é o alimento mais completo que existe para o recém-nascido, por isso, é muito importante, principalmente para os que estão internados. Com o leite materno, o bebê prematuro ganha peso mais rápido, se desenvolve com mais saúde e fica protegido de infecções, diarreias e alergias.

As doações são semanais e acontecem toda terça-feira. São recolhidos, no mínimo, 180 ml de leite.

O posto de coleta, que fica na gota de leite, está localizada na Rua Carlos Gomes, 1.610, no centro. o horário de funcionamento e de segunda sábado, das 7h às 18h30. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3305-1530.

Mais do ACidade ON