Aguarde...

cotidiano

38 bares e restaurantes são fiscalizados em Araraquara

Ação ocorreu nas noites de sexta e sábado em diferentes bairros; apenas um foi autuado, mas não será multado

| ACidadeON/Araraquara

Determinação é para distanciamento e máximo de duas pessoas por mesa (Foto: Reprodução EPTV)
 

Em meio à pandemia do novo coronavírus, aumento de casos nos últimos dias e um decreto municipal prevendo medidas mais rígidas, a fiscalização foi às ruas, na sexta-feira (7) e sábado (8), verificar o cumprimento das medidas sanitárias para evitar a proliferação e contágio da doença. 

Ao todo, segundo o coordenador do Procon, Rodrigo Martins, somando os dois dias de atuação da "força-tarefa" da Prefeitura foram fiscalizados 38 estabelecimentos da cidade, sendo que a maioria foi apenas orientada sobre as novas regras que estão em vigor, como por exemplo, instalação de tapete sanitizante e aferir temperatura dos clientes.  

"Apenas um foi autuado visando registrar que estava irregular, pois tínhamos orientado na sexta e no sábado passamos novamente, vimos várias pessoas em pé e mais de duas por mesa. Ao avistarem a equipe, começou um corre corre no bar, com pessoas se sentando e funcionários recolhendo as cadeiras que estavam sobrando. Havia cerca de dez pessoas na porta, que se dispersaram. Orientamos mais uma vez, foi feito o registro e na próxima vista, se tivermos irregularidades, serão multados", explica.  

Martins ressalta que a fiscalização também orientou os estabelecimentos que haviam publicado nas redes sociais que fariam almoço de Dia dos Pais, uma vez que só é permitido manter duas pessoas por mesa.  

REGRAS MAIS RÍGIDAS
Desde a última quarta-feira (4) regras mais rígidas estão valendo na cidade em relação à flexibilização econômica. Para o setor de comércio e serviços é preciso instalar tapete sanitário para higienização dos pés na entrada, além de checar a temperatura dos clientes. O atendimento pode ser feito por no máximo seis horas diárias, de segunda a sábado. 

Já bares e restaurantes podem realizar atendimento pelo mesmo período de seis horas, de segunda a sábado limitado até 23 horas e domingos até 16 horas, porém, devem agendar seus clientes, manter distanciamento mínimo e no máximo dois clientes por mesa. Há ainda a necessidade de o estabelecimento realizar um cadastro de seus consumidores com nome, endereço, telefone e a temperatura aferida na entrada. 

Apesar das exigências, na última sexta-feira (7) a Prefeitura publicou no Diário Oficial uma portaria dando prazo de dez dias para que os estabelecimentos se adequem as regras. Neste período a fiscalização segue sendo realizada, autuações são registradas, porém, não há aplicação de multas. O descumprimento do decreto municipal de calamidade pública prevê multas de R$ 5.768, além da cassação do alvará de funcionamento da empresa infratora.

Mais do ACidade ON