Aguarde...

ACidadeON Araraquara

Araraquara
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Laudo aponta que Mariana Bazza foi estuprada antes de ser morta

A estudante foi morta após receber ajuda para trocar pneu do carro em Bariri; brutalidade comoveu a região

| ACidadeON/Araraquara

Mariana Bazza de 19 anos foi morta no dia 24 de setembro (Foto: Redes Sociais)
O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Araraquara concluiu através do exame residual que a estudante Mariana Bazza, de 19 anos, foi estuprada antes de ser morta por asfixia, no último dia 24 de setembro, em Bariri. As informações foram anexadas à denúncia feita pelo Ministério Público e aceita pela Justiça.    

O acusado do crime, Rodrigo Alves Pereira, de 33 anos, está preso e aguarda julgamento. A intenção é que ele responda pelos crimes de estupro, homicídio e ocultação de cadáver.   

Segundo a denúncia do Ministério Público, Rodrigo teria esvaziado o pneu do carro de Mariana para atraí-la até uma chácara e, após ameaçar a vítima com uma faca usou pedaços da blusa dela para vendá-la e amordaçá-la. O laudo IML aponta que Mariana foi morta por asfixiada com um pedaço da mesma blusa. 

Ainda segundo o MP, após o assassinato Rodrigo roubou o carro, a carteira da vítima com documentos pessoais, R$ 110 em dinheiro, o celular dela e uma caixa de som.   


 

Entenda
Mariana Bazza saiu de sua casa na manhã para ir à academia fazer aula de Crossfit. Por volta das 8h saiu do local na companhia de uma amiga. A amiga foi para o trabalho e ela seguiu até seu carro um Volks/Gol preto que estava com o pneu furado. O Rodrigo Alves Pereira se aproximou e ofereceu ajuda.  

Imagens de câmeras de segurança mostram quando Mariana entra no carro e dirige até uma chácara, onde o rapaz trabalhava para que a troca de pneu fosse realizada.  

Quando o rapaz estava trocando o pneu do carro, Mariana chegou a fazer uma foto e enviou para o namorado, avisando o que tinha acontecido. Depois disso, não fez mais contato com a família.  

O carro saiu da chácara cerca de 1h depois, mas não foi possível identificar quem estava na direção.  

Horas depois do ocorrido, Polícia Militar foi acionada pela família e fez buscas com o helicóptero Águia. O carro de Mariana foi encontrado no final da tarde de terça-feira 24 de setembro pela Polícia Civil em Itápolis, a 60 quilômetros de Bariri. Rodrigo Alves também estava na cidade, escondido no telhado de uma casa.  

Ele prestou depoimento aos policiais durante a madrugada e negou envolvimento no desaparecimento da jovem, porém, no dia seguinte confessou o crime e levou os policiais até o local onde havia deixado o corpo de Mariana, um canavial no distrito de Cambaratiba.   



Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON