Aguarde...

Economia

Número de microempreendedor cresce 23% em Araraquara

Dados mostram aumento no número de pessoas que formalizaram sua atividade

| ACidadeON/Araraquara


Seguimento de beleza e estética tem número alto de procura Foto: Reprodução/EPTV
Com o mercado de trabalho em baixa e a economia brasileira repleta de incertezas, montar um pequeno negócio ou formalizar aquela atividade profissional para garantir alguns direitos foi a saída encontrada por muitos araraquarenses. A ideia é driblar a crise e conseguir pagar as contas no final do mês.

Dados do Sebrae Araraquara revelam que em 2019, o número de pessoas que procuraram o órgão para abrir um CNPJ como Micro Empreendedor Individual (MEI) subiu 23%.

Foram 2.279 novos profissionais a mais do que no ano anterior, 2018. Os números fecha-dos do Sebrae referente a 2019 são de 12.223 MEIs em Araraquara. Em 2018, foram 9.944, e em 2017, 9.719.

E é justamente nesse terreno inóspito de dificuldades que os empreendedores aparecem, geralmente, em setores de prestação de serviço: um pintor, um pedreiro, um vendedor ou uma cabeleireira, por exemplo. É o empreendedorismo por necessidade. Quem explica é o consultor do Sebrae de Araraquara, Luiz Felipe Navarro

"O empreendedorismo vem sendo muito bem visto pela população. Nós tivemos um mercado de trabalho bem abaixo do que se esperava e as pessoas tiveram muito mais acesso de informação, de conhecimento e o fato do microempreendedor estar mais fácil para o empreendedor, a MEI se tornou uma opção muito mais viável para iniciar um negócio".
 

Dona do próprio negócio 
A jovem empreendedora, Gabriela Piva, de 23 anos, formou-se em moda e em 2019 decidiu abrir seu próprio ateliê em Araraquara. A vontade de empreender e também as condições do mercado de trabalho foram os principais fatores que fizeram ela voltar para o interior.

É ela quem faz quase tudo na empresa, desde a escolha dos tecidos, das estampas e das vendas no site da marca de acordo com o pedido do cliente. Gabriela resolveu seguir pela tendência "Slow fashion" (ou moda lenta). Ou seja, seus produtos não são feitos em grandes volumes. Tudo é personalizado da forma como o cliente quer!

"Quando vim para Araraquara abri uma empresa de slow fashion na área de confecção e eu trabalho com demanda. A pessoa vai no meu site, compra e eu faço o produto. Eu desenvolvo minhas estampas e tudo mais. Eu sempre quis ser dona do meu próprio negócio. Eu queria ter algo meu, sem depender de ninguém. Além disso, o mercado de trabalho na área da moda demora muito para começar a ter reconhecimento. Para mim, a MEI é uma forma mais segura de trabalhar", conta.

Microempreendedor individual é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno empresário para aproveitar todas as vantagens de ter um CNPJ. As principais vantagens estão na emissão de notas fiscais, benefícios previdenciários, menos impostos e isenção de taxa de alvará de funcionamento.

Serviços 
Em Araraquara, a procura pela formalização de MEI é maior é por parte de prestadores de serviço, de acordo com Luiz Felipe. 

"Nós temos bastante a questão de prestação de serviço. O seguimento de beleza e estética tivemos muitas empreendedoras que procuraram o Sebrae para a melhoria de seus negócios, além da questão de alimentos e da construção civil. São pessoas que trabalham no sozinhas no seu dia-a-dia e acabam optando para se legalizar e assim poder contribuir, procurar serviço e emitir nota", ressalta.

Para abrir um registro de MEI, o trabalhadores deve procurar o posto do Sebrae. Tudo é feito de forma rápida e com o acompanhamento do Sebrae.

Em Araraquara o atendimento é na via expressa, a avenida Maria Antônia Camargo de oliveira, número 2903, das 9h às 5h da tarde.



Mais do ACidade ON