Aguarde...

ACidadeON

Voltar

Economia

Cesta básica em Araraquara registra queda após 3 meses em alta

Redução no preço do contrafilé e acém teria sido um dos motivos para queda no valor da cesta básica

| ACidadeON/Araraquara

Preço da carne teria puxado declínio da cesta básica (Foto: Arquivo/ON)



O preço da cesta básica, em Araraquara, encerrou o mês de janeiro 1,64% mais barato em comparação com o mês anterior. Trata-se da maior queda registrada desde setembro de 2019. A redução foi de 2,57%.

É o que diz o levantamento do núcleo de economia do Sindicato do Comércio Varejista de Araraquara (Sincomercio), que pesquisou nove supermercados da cidade. O declínio, de acordo com a pesquisa, foi influenciado principalmente pelo preço do contrafilé (-11,1%), do acém (-9,5%) e da cebola (-1,2%). Como consequência, o preço da cesta básica no fim do mês fechou com valor médio de R$ 608,64.

A redução no preço das carnes demonstra que a alta observada ao final de 2019 ficou concentrada nos meses de novembro e dezembro. Enquanto que para o início de 2020 a tendência é de dissipação do "choque de proteínas". Muito dessa alta está relacionado à peste suína que prejudicou o mercado chinês, elevando a exportação do produto nacional, como explica Marcelo Cosalter, que integra o grupo de pesquisa de economia do Sincomércio.

"Vale lembrar que no fim de 2019 nós tivemos esse choque de proteínas, causado por uma peste suína que atingiu a China, que começou a demandar mais carne bovina do Brasil. Esse aumento de demanda fez elevar os preços e disparou a inflação nos dois últimos meses, um pouco por isso. Uma das preocupações era se essa inflação ia se dissipar para outro setor da economia, então tinha um risco da inflação disseminar para outros alimentos. Mas, nós percebemos que ficou concentrado nos meses de dezembro e que no início do ano houve uma redução mais expressiva no preço da carne, principalmente o contrafilé e o acém", explica.

Na comparação com janeiro de 2020, a categoria de alimentos registrou queda de 2,67%, enquanto as categorias de limpeza doméstica e higiene pessoal apresentaram elevações nos preços, variando 3,28% e 2,38%, respectivamente.

Para as próximas semana, há a incerteza trazida pelo novo corona vírus, que atingiu a cidade de Wuhan, na China. O país é o principal parceiro do comercial do Brasil e está entre os países que mais importam no município de Araraquara.

Uma redução da atividade econômica chinesa, pode representar menor demanda por carne bovina nacional, aumentando a oferta interna e pressionando os preços para baixo.

"Uma vez dissipado esse preço, espera-se que gradualmente o preço da carne retorne a níveis semelhantes, embora é difícil saber se vai retornar ao preço anterior ao da peste suína, talvez fique ainda um pouco mais caro, mas a gente deve prestar bastante atenção agora por causa do Coronavírus, que já tem afetado algumas empresas do Brasil, pois a China é uma das grandes parceiras do município de Araraquara e temos que ficar de olho nisso para poder ver de que forma isso vai afetar as nossas importações e exportações, de modo que pode haver aumento ou redução no preço de outros itens se este vírus continuar afetando a economia chinesa", finaliza.

No que diz respeito a batata, a alta foi de 7,9%. Os diferentes preços aplicados nos supermercados foram impulsionados pela qualidade do tubérculo e devido às fortes chuvas ocorridas em janeiro que dificultaram a colheita em algumas lavouras.

A pesquisa revela ainda que no acumulado dos últimos 12 meses, apesar do poder de compra do consumidor apresentar uma redução de 0,24%, ele praticamente não se alterou ao longo do período. Esse dado indica que ao final de um ano, o consumidor conseguiria adquirir 99,76% dos itens da cesta coletados na pesquisa.

Mais do ACidade ON