Aguarde...

Economia

Bares e restaurantes registram queda no movimento devido à pandemia

Presidente do Sinhores afirma que alguns estabelecimento já sentiram queda de 90% o faturamento

| ACidadeON/Araraquara

Bares e restaurantes registram queda no movimento devido à pandemia de coronavírus (Foto: Redes Sociais)
Basta dar uma volta pelas ruas de Araraquara para perceber como a pandemia do coronavírus tem afetado a vida de proprietários de bares, lanchonetes e cafeterias. Se antes as pessoas enfrentavam filas e mais filas para conseguir um lugar para sentar, hoje o que se vê são mesas vazias e garçons parados.  

Alguns bares emitiram nota em suas redes sociais informando sobre o reforço na parte de higienização, redução no número de mesas e reforço no delivery e retirada de porções para viagem.  

Adriano Rogério de Oliveira, de 34 anos, sócio-proprietário de um bar localizado no Centro de Araraquara conta que nesta semana a queda no movimento deve chegar aos 40%.

"Para reduzir os impactos dessa queda, estamos potencializando as medidas de proteção dentro do estabelecimento, aumentando os pontos com álcool em gel, ampliando os espaçamentos entre as mesas e deixando orientações para todos. Para manter as vendas, estamos iniciando uma parceria com uma empresa de entrega e estamos reforçando o formato delivery do estabelecimento", explica Adriano.  

Já em uma cafeteria localizada no Jardim das Roseiras, a queda foi de 15% no movimento. "Já tivemos queda nas vendas e a partir da próxima semana estamos pensando em abrir a loja apenas para delivery. Não vamos abrir a loja física, pois ela é pequena e por isso vamos trabalhar apenas com entrega. O que conseguimos sentir até o momento é a queda no atendimento presencial e um aumento no delivery", destaca Renato Spoto, proprietário do local.  

Em uma pastelaria na Alameda Paulista o movimento de pessoas caiu, mas para diminuir os prejuízos, o local começou a fazer entrega. A ideia, segundo a proprietária, é dar mais uma opção para o cliente e diminuir o fluxo de pessoas no local.   

Fernando Pacchiarotti, presidente do Sinhores, fala sobre queda no faturamento (Foto: Amanda Rocha)
Queda no faturamento  
Em reunião realizada na tarde desta quinta-feira (19), no sexto andar da Prefeitura, Fernando Pacchiarotti, presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes Bares e Similares de Araraquara e Região (Sinhores) afirmou que a receita de algumas casas despencou, algumas chegaram a cair 90%.  

"Nossa categoria está quase em pânico, pois a receita de algumas casas caiu em torno de 90%. Aqui em Araraquara, tem casas que estão ficando a noite inteira completamente vazias. Teve comerciante que me contou que estava tudo bem até quinta-feira passar, mas nesta semana teve casa que estava completamente vazia, outras nem abriram. O que agravou foi do último final de semana pra cá, quando o movimento despencou e o pessoal entrou em pânico, pois tem muitos empresários da nossa categoria, cerca de 70%, são microempresários, que depende da venda do final de semana para pagar o fornecedor na segunda-feira. Se ele não tiver venda no final de semana, ele não honra com os compromissos dele. É matemática", explicou Fernando.  

Problemas   
Ainda segundo o presidente da categoria, donos de cantinas que funcionam dentro de faculdade, por exemplo, tem funcionário, tem estoque e mercadoria, mas não tem público.  "Como ele lida com isso? Não quero estimular as pessoas saírem de casa, quero apenas conscientizar que a nossa categoria é diferente de uma loja de relógio ou sapato, que você guarda e ao retornar você tira o pó de tudo e vende. Em restaurante, lanchonete e bares os produtos são perecíveis, estragam em três ou quatro dias. Além disso, a mercadoria gelada, congelada ou aquecida no momento obriga o proprietário a continua gastando para manter tudo ligado. Com o estabelecimento fechado, como ele paga a conta no final do mês?", questiona.  

Fernando falou ainda sobre a importância do delivery neste momento, mas ressalta que é importante pedir alimento apenas de locais conhecidos, com aprovação da Vigilância Sanitária.

Mais do ACidade ON