Aguarde...

Economia

Em meio à pandemia, número de MEIS cresce 25% em Araraquara

Entre 2020 e 2021, a cidade registrou aumento de 3,2 mil novas empresas; especialista aponta o desemprego como justificativa para o crescimento

| ACidadeON/Araraquara

Crescimento de MEI em Araraquara na pandemia é de 25% (Foto: Amanda Rocha)

O Portal do Empreendedor mostra que houve um aumento de 3.295 novas empresas, entre 2020 e 2021.O total de MEIS cadastrados em março do ano passado era de 12.943. O número saltou para 16.238, em março deste ano.  

Paralelo a este crescimento, Araraquara terminou o ano de 2020 com saldo negativo na geração de emprego. No ano passado, foram fechados 908 postos de trabalho, segundo o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério da Economia. 

Esta pode ser a explicação para o aumento de novas empresas, segundo o consultor de Negócios do Sebrae, Luis Felipe Navarro. 

"A gente tem percebido até dentro do próprio Sebrae um aumento no número de microempreendedores individuais na busca de uma fonte de renda de fato. E muitos deles mesmo empregados também tem optado por uma renda extra , por um auxílio na manutenção de suas despesas, e veem na MEI uma grande solução", frisa.   

IDEIAS CASEIRAS E HOBBIES

Em setembro, o José Miranda Junior optou por formalizar o negócio que tinha começado meses antes. Até então, ele trabalhava como professor e, aos 60 anos, decidiu arriscar e começou a preparar geleias uma das receitas da mãe dele. 

A atividade que começou como um hobbie tornou-se uma renda extra no fim do mês. 

"Começou com um hobby e algumas pessoas experimentaram e gostaram e perguntaram porque não fazia pra vender. Aí comecei a pensar nisso, fui no Sebrae pra ver com era essa questão de formalizar e começamos a trabalhar com a empresa Receita de mãe, e o negócio foi crescendo. Então resolvemos entrar na área de panificação com pães artesanais", diz. 

O MEI precisa ter um faturamento anual de até R$81 mil, não pode ter sócio, administrador ou ser titular de outra empresa. Outra característica é a restrição de contratação de apenas um empregado. 

O consultor de Negócios do Sebrae explica que se tornar MEI traz uma série de benefícios. Mas, segundo ele, além de se formalizar, buscar conhecimento também é fundamental.

"Primeiro ponto importante é a possibilidade ter CNPJ , e você passa a usar para divulgação e aumento de credibilidade junto a possíveis novos clientes e também na compra de matéria prima e fornecedores. É um benefício, Outro ponto importante é o fato que também passa a ter algumas ações do Sebrai, como acesso ao crédito e parte de gestão e outros benefícios como outro ponto importante é separar tudo o que é pessoa física e pessoa jurídica. Quando tenho CNPJ até de forma inconsciente eu acabo meio que tendendo a separar um pouco do que uso na minha vida pessoal e profissional também", enfatiza.  

Aos 33 anos, o design de móveis, Renan de Lima Faria, também empreendeu. Ele que já tinha tido a experiência como sócio em outra empresa, decidiu investir no próprio negócio. Hoje, ele cria móveis a partir de materiais reutilizáveis.

"Comecei a fazer móveis menores pra mandar pelo correio, luminárias, tábua de carne. Tá um pouco devagar ainda mas tô conseguindo pagar as minhas contas, a MEI é um facilitador, é muito legal , dá pra fazer tudo pela internet", frisa. 

Do total de MEIS registrados em Araraquara, 8% são de prestadores de serviços que trabalham com corte de cabelo e barba, manicure e pedicure. Na sequência, aparecem trabalhadores da construção civil com 6%, e a atividade de vestuário e acessório com 5,3%.
Para Luis Felipe Navarro, essas áreas de atuação revelam uma tendência comum na cidade. 

"Nesses momentos de dificuldade de captação de emprego, o hobby, o dom, e a prática acaba ajudando muito para que esses segmentos prevaleçam em Araraquara e em nossa região", diz.



Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON