Publicidade

politica

Câmara adia votação sobre o passaporte da vacina em Araraquara

Segundo nota encaminhada à imprensa, projeto foi devolvido à Prefeitura para envio de um substitutivo

| ACidadeON/Araraquara -

 

Documento é assinado pela mesa diretora da Câmara de Araraquara (Foto: Divulgação)

 

Por meio de nota, a mesa diretora da Câmara disse que vai adiar a votação do projeto de lei que pretende tornar obrigatória a exigência do passaporte da vacina em Araraquara. O assunto estava na Ordem do Dia para discussão e votação, nesta terça-feira (18), no retorno dos trabalhos no Legislativo após o período de recesso parlamentar.

"Entendendo que tal medida suscitou grande apreensão em vários setores da sociedade, os parlamentares, em concordância com a Prefeitura, decidiram devolver o projeto ao Executivo para a elaboração de um substitutivo que exclua a exigência do Passaporte da Vacina para entrada do público em estabelecimentos do comércio, indústria e igrejas", disse em nota.

Segundo a mesa diretora da Câmara, a nova redação do projeto deve abranger apenas grandes eventos culturais, esportivos e de entretenimento nos quais o público não possa permanecer sentado, o que dificulta a fiscalização do distanciamento social exigido para sua realização.

Na 47ª Sessão Ordinária, desta terça-feira (18), será feito pedido de adiamento da votação do projeto por um prazo de 30 dias. Nesse período, a Câmara Municipal afirmou que vai realizar uma Audiência Pública para aprofundamento das discussões, para a qual serão convidados representantes da secretaria municipal da Saúde, de empresas organizadoras de grandes eventos e especialistas das áreas envolvidas, de modo a produzir um texto de lei embasado em informações de caráter técnico e científico.

"Desejamos tranquilizar a sociedade em geral, trabalhadores, empresários e associações de classe: os vereadores desta Casa estão atentos à necessidade de equilibrar as medidas de contenção da Covid-19 com a necessidade de preservar o trabalho e a renda da população de nossa cidade", finalizou o posicionamento.

Mais notícias


Publicidade