29 de fevereiro de 2024
- Publicidade -
EP Agro

Conab alerta para aprofundamento da queda na safra brasileira de grãos

Produção deverá alcançar 299,8 milhões de toneladas, 20 milhões a menos que no ciclo passado

De acordo com a companhia, o motivo principal da queda na safra brasileira de grãos foram as variações climáticas

A colheita total de grãos na safra 2023/24 deve chegar a 299,8 milhões de toneladas, conforme a nova estimativa divulgada no 5º Levantamento da Safra de Grãos, nesta quinta-feira (6) pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). O volume será 6% inferior ao obtido na safra passada, quando foi alcançada uma projeção de 319,8 milhões de toneladas.

De acordo com a companhia, o motivo principal da queda na safra brasileira de grãos foram as variações climáticas, que afetaram negativamente as lavouras nas principais regiões produtoras, como no Centro-Oeste, Sudeste e na área conhecida como Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), principalmente as de soja e milho. Veja abaixo a estimativa para cada cultura:

Soja

A estimativa é que a produção de soja atinja 149,4 milhões de toneladas – resultado que, se confirmado, será 3,4% inferior ao volume obtido no ciclo 2022/23 e 7,8% menor que as 162 milhões de toneladas que a Conab estimava no início da atual safra. As exportações da oleaginosa também devem ser reduzidas em 4,29 milhões de toneladas, saindo de 98,45 milhões de toneladas para 94,16 milhões de toneladas.

Milho

A estatal também atualizou a expectativa quanto à colheita de milho, que não deve ultrapassar 113,7 milhões de toneladas. As vendas de milho ao mercado internacional também foram ajustadas em 3 milhões de toneladas. Com isso, os embarques do cereal devem chegar a 32 milhões de toneladas, enquanto a demanda doméstica está estimada em 84,1 milhões de toneladas.

Feijão

Adversidades climáticas, como ondas de calor e a má distribuição das chuvas, também devem prejudicar a produção de feijão, que deve resultar em uma produção de 2,97 milhões de toneladas.

LEIA TAMBÉM

Julgamento sobre benefícios fiscais para agrotóxicos é suspenso

Produtos de origem animal do Brasil vão para novos mercados

- Publicidade -

Arroz

Embora tenham chegado a afetar a lavoura do arroz, os reflexos do El Niño não gerou perdas até o momento nesta safra. A produção está estimada em 10,8 milhões de toneladas, 7,6% acima da produção da safra anterior. Alta também para o algodão. A estimativa é que o país estabeleça um novo recorde para a produção da pluma, chegando a 3,3 milhões de toneladas. O preço da commodity e as perspectivas de comercialização refletiram no aumento de área de plantio, que apresenta crescimento de 12,8% sobre a safra 2022/23.

Trigo

As primeiras estimativas para as culturas de inverno apontam para uma recuperação na safra de trigo, estimada em 10,2 milhões de toneladas. O plantio do cereal tem início a partir de fevereiro no Centro-Oeste, e ganhará força em meados de abril, no Paraná, e em maio, no Rio Grande do Sul, estados que representam 82,7% da produção tritícola do país.

Algodão

No caso do algodão, o estoque final do produto teve um reajuste para 2,28 milhões de toneladas, uma vez que o consumo interno se manteve em 730 mil toneladas e as exportações estão estimadas em aproximadamente 2,5 milhões de toneladas.

Com informações da Agência Brasil

- Publicidade -

Com supervisão de Marcos Andrade

LEIA MAIS

Agricultura perdeu mais de 350 mil empregados em 2023, mostra IBGE

plugins premium WordPress