30 de maio de 2024
- Publicidade -
Tudo Saúde

Surto de dengue aumenta o preço dos repelentes em quase 16%

Em menos de dois meses, o país contabiliza mais de 650 mil casos prováveis da doença e 113 mortes

A alta dos preços dos repelentes ocorre no momento de aumento de casos de dengue Brasil (Foto: Freepik)

Com o recente aumento no número de casos de dengue no país, os brasileiros estão atentos e buscam formas de se prevenir. Além da procura por vacina em postos de saúde, estão buscando também repelentes para se protegerem do Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença. No entanto, quanto maior a procura, maior o preço.

Os valores dos repelentes subiram 15,78%, em média, quando comparado com os de dezembro do ano passado. Além disso, a diferença de preços do mesmo produto em lojas diferentes chega a 84,19%. O levantamento foi divulgado pelo Procon-SP.

Por que o preço dos repelentes aumentou tanto?

A alta dos preços dos repelentes ocorre no momento de aumento de casos de dengue, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, que também é vetor da transmissão da zika e da chikungunya.

“A grande diferença de preços entre estabelecimentos aponta para a necessidade de o consumidor pesquisar bastante antes de comprar seus produtos, ainda mais em um período de elevada demanda e considerando que não há tabelamento de preços no país”, divulgou o Procon-SP, em nota.

LEIA TAMBÉM

Como usar repelente contra o mosquito da dengue?

Quais remédios são contraindicados em caso de suspeita de dengue?

Quantas pessoas já morreram de dengue no Brasil em 2024?

Desde 1º de janeiro, 113 pessoas morreram em todo o país em decorrência da dengue. De acordo com o painel de monitoramento de arboviroses do Ministério da Saúde, há ainda 438 casos em investigação para a doença.

- Publicidade -

Além disso, os números mostram que, em menos de dois meses, o Brasil contabiliza 653.656 casos prováveis de dengue, o que leva a um coeficiente de incidência de 321,9 casos para cada grupo de 100 mil habitantes.

Com informações da Agência Brasil

Com supervisão de Marcos Andrade

LEIA MAIS

- Publicidade -

Vacina da dengue no SUS? Veja quem pode tomar

- Publicidade -
plugins premium WordPress