Aguarde...

Economia

Pandemia impacta balança comercial araraquarense em fevereiro

As exportações e importações para a China tiveram números reduzidos em fevereiro

| ACidadeON/Araraquara

Sumo de fruta é um dos itens exportados por Araraquara (Foto: Arquivo)
A pandemia de coronavírus que atinge o mundo já começa a ter reflexos negativos no desempenho da balança comercial araraquarense. Embora o índice tenha fechado com superávit de US$ 38,4 milhões em fevereiro, na comparação com mesmo período do ano passado, esse número representa uma queda de 26%. Em fevereiro de 2019, superávit foi de quase US$ 52 bilhões. As exportações tiveram queda de 73% no comparativo.

Os dados foram divulgados pelo Núcleo de Economia do Sincomercio Araraquara, com base em informações apontados pelo Ministério do Comércio Exterior. Na avaliação do economista João Delarissa, que integra o núcleo, a redução do saldo comercial acontece em meio à desaceleração da economia mundial, processo que vem se intensificando com a expansão do novo coronavírus. A China é um dos principais destinos de produtos da cidade.

"A queda foi observada principalmente na China, que é o epicentro de tudo isso que está acontecendo. Em outros países também diminuíram - tanto a quantidade importada como a exportada - mas a análise acabou ficando focada na China porque realmente é um dos principais parceiros comerciais de Araraquara. Observamos queda da importação e exportação, assim como a quantidade de produtos comercializados", explica.

Segundo os dados, em fevereiro, as exportações somaram, US$ 41,2 milhões, valor 26,3% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado. As importações, por sua vez, totalizaram US$ 2,8 milhões queda de 29,1% na comparação com fevereiro do ano passado.

Embora o número de infecções pelo Covid-19 esteja caindo na China, muitas empresas ainda seguem inativas ou com nível de produção abaixo do normal.

Sumos de frutas apresentou quedas na exportação em quase 87%. Em matérias vegetais, utilizadas na alimentação animal, a queda foi de 19% e nos chamados óleos essenciais, a baixa nas vendas foi de 80%.

"A China importa o sumo de fruta aqui de Araraquara, assim como matéria vegetal e óleos essenciais. Eles beneficiam esses produtos com a sua própria indústria. Neste momento de retração da atividade industrial, observamos que essas quedas expressivas na exportação, com queda de quase 87% a menos de sumo de sucos exportado e quase 80% dos óleos essenciais, deixou bem claro, nos dados deste mês, que a retração da atividades na China impactou diretamente a balança araraquarense", ressalta Delarissa.

A importação de produtos chineses reduziu cerca de 32% em Araraquara no mesmo comparativo. Saiu de US$ 947,9 mil, em fevereiro de 2019, para US$ 640,7 mil, em fevereiro de 2020.


Mais do ACidade ON