27 de maio de 2024
- Publicidade -
EP Agro

Conheça um modo de tratar e prevenir doenças nos rebanhos de um jeito não-convencional 

Produtores rurais investem em tratamentos fitoterápicos e homeopáticos para estimular o bem-estar animal

Durante o tratamento fitoterápico, não é preciso descartar o leite (Foto: Internet)

*Por: Marina Fávaro

Diarreia, pneumonia e mastites (inflamações do tecido mamário) são doenças comuns nos rebanhos de bovinos. É comum que o tratamento dessas doenças seja feito a partir do uso de medicamentos, o que pode inviabilizar o consumo do leite desses animais durante a utilização dos remédios convencionais. Imagina se fosse possível curar ou, até mesmo, prevenir doenças de maneira natural? 

Os pecuaristas Pierro Alberti e Patrizia Narcisi possuem uma propriedade em Cássia dos Coqueiros, em São Paulo, dedicada à produção de queijos orgânicos. No sítio, os pecuaristas priorizam o bem-estar animal e evitam medicamentos convencionais.  

Patrizia conta que uma das vacas, a Palova, começou a ter um problema de pododermatite (inflamação nos cascos) após a primeira lactação. O agravamento da doença poderia obrigar a prática da eutanásia, mas Patrizia decidiu apostar em tratamentos naturais.  

“Comecei a tentar curá-la com terapias naturais. Compressas de água, sal fervido e argila. Tudo aquilo que eu sabia que podia tirar aquela inflamação e infecção. Tratamos ela por 3 meses e, depois de curada, deu 3 crias”, disse a pecuarista. 

LEIA MAIS

Preços do Tahiti crescem 55% em março

O que estimulou a melhora na dieta de gado confinado?

- Publicidade -

Tratamentos assim são conhecidos como homeopáticos e fitoterápicos. A homeopatia é um método que utiliza as mesmas substâncias que provocam os sintomas para tratar ou aliviar vários tipos de doenças. Essas substâncias são diluídas em água ou álcool e, depois, agitadas, produzindo remédios homeopáticos que poderão ser capazes de aliviar os sintomas. 

A fitoterapia, por sua vez, se refere a medicamentos obtidos integralmente a partir de plantas. Os princípios ativos podem ser extraídos de raízes, caule, folhas, flores e sementes de plantas medicinais.  

Segundo o médico-veterinário da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati), Ricardo Bruxelas, “a vantagem de tratamentos assim é que são produtos naturais com alta eficiência. Com isso, durante o tratamento, não é preciso descartar o leite”, explicou.  

Esse tipo de tratamento pode ser via oral ou uso tópico. “São utilizados tanto para prevenção de doenças quanto para tratamento de doenças, como diarreias, pneumonia, mastites, retenção de placenta e controle de ecto e endo parasitas”, explicou o médico-veterinário.  

- Publicidade -

Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Embrapa, utilizar tratamentos assim reduz, sobretudo, o uso inadequado de antibióticos e antiparasitários. “A utilização inadequada ou indiscriminada desses medicamentos pelo produtor rural aumenta as chances de surgimento e propagação de bactérias e parasitas resistentes”, descreveu a instituição no site. 

Além da prevenção de doenças, o custo de tratamentos homeopáticos é relativamente baixo se comparado aos tratamentos convencionais, conforme destacou o médico-veterinário Ricardo Bruxelas.

LEIA TAMBÉM

BNDES aprova mais R$1,4 bilhão para Plano Safra 2023-24

*Com supervisão de Marcelo Ferri

- Publicidade -
plugins premium WordPress