22 de junho de 2024
- Publicidade -
Tudo Notícias

Por que Emmanuel Macron convocou eleições?

Emmanuel Macron surpreendeu os franceses ao antecipar as eleições legislativas para os dias 30 de junho e 7 de julho

Emmanuel Macron surpreendeu os franceses ao antecipar as eleições legislativas para os dias 30 de junho e 7 de julho. (Foto: Reprodução/Agência Brasil)

No último domingo (9), o presidente da França, Emmanuel Macron, surpreendeu os franceses ao dissolver o Parlamento e convocar eleições legislativas antecipadas. O anúncio foi feito depois que seu partido, o Renascimento, sofreu um forte revés nas eleições do Parlamento Europeu. Segundo o líder francês, a votação acontecerá em dois turnos nos dias 30 de junho e 7 de julho.

Por que Emmanuel Macron convocou eleições?

Emmanuel Macron convocou eleições na França com o objetivo de expor a extrema direita francesa, concentrada no partido Reunião Nacional, a uma situação de governo, mas sem sujeitar o país a uma Presidência radical. Com isso, o presidente espera mostrar que os radicais têm pouco a oferecer como partido de situação e que não passam de uma oposição sem propostas reais.

LEIA TAMBÉM

Quando sai o gabarito oficial do concurso TJSC?

Enchentes no RS: faltam roupas grandes para gaúchos

A decisão foi tomada em um momento em que os primeiros resultados projetados pela França colocam o Reunião Nacional muito à frente dos centristas pró-europeus do Renascimento nas eleições parlamentares da União Europeia.

- Publicidade -

“Decidi devolver-vos a escolha do nosso futuro parlamentar através da votação”, disse Macron em um discurso no palácio presidencial. Em seguida, ele afirmou que o resultado das eleições europeias “não é um bom resultado para os partidos que defendem a Europa”.

O presidente francês ainda disse: “A ascensão dos nacionalistas e demagogos é um perigo para a nossa nação”.

Segundo estimativas do Ifop e Ipsos, o Reunião Nacional obteve aproximadamente um terço dos votos nas eleições do Parlamento Europeu. O candidato de extrema direita Jordan Bardella, de 28 anos, por exemplo, conquistou entre 31,5% e 32,4% dos votos. Com isso, ele ficou muito à frente de Valérie Hayer (15%), do Renascimento, e do socialista Raphaël Glucksmann (14% a 14,3%).

- Publicidade -

LEIA MAIS

Óvnis no Japão: governo aponta risco à segurança nacional

Compartilhe:
Larissa de Morais
Formada pela Universidade São Francisco, é repórter no Tudo EP | ACidade ON, site de entretenimento da EPTV, onde também foi assistente de mídias digitais e estagiária de jornalismo. Com passagem por sites de entretenimento e jornalismo independente, tem experiência em redação de material jornalístico para editorias de diferentes segmentos de hard e soft news e em produção de conteúdo para a internet.
- Publicidade -
plugins premium WordPress