Publicidade

cotidiano

Isabel, Verônica e milhares de pessoas estão na fila da Saúde

Atualmente, são 37 mil exames de diagnósticos, 19 mil consultas com especialistas e 2,7 mil cirurgias eletivas pendentes

| ACidadeON/Araraquara -

 

Sede da secretaria municipal da Saúde, no Centro de Araraquara (Foto: Milton Filho/ acidade on)

Depender de exames, consultas e cirurgias eletivas é o mesmo que entrar em uma longa fila de espera. Em Araraquara, são milhares de pessoas nesta situação. 

Atualmente, 37 mil exames de diagnósticos estão pendentes; 19 mil pacientes esperam por uma consulta com um médico especialista, e a fila de cirurgias eletivas soma mais de 2,7 mil procedimentos. 

Os números foram apresentados pela secretaria municipal de Saúde, em resposta a requerimento do vereador João Clemente (PSDB). Procurado, o município atribuiu a situação à pandemia e anunciou investimentos para o setor.

A recepcionista Verônica Lígia dos Santos, de 62 anos, sabe o que isso significa. Há sete meses, ela aguarda por uma colonoscopia. 

"Não é uma brincadeira, é um caso de saúde. Uma doença que poderia ser tratada no início pode avançar a passos largos, principalmente, ser for algum caso de câncer de intestino", desabafou. 

A Verônica não está sozinha. Atualmente, 630 pessoas esperam pelo mesmo exame, incluindo a mãe dela, de 84 anos. 

As duas fazem acompanhamento na unidade de saúde do bairro Santa Angelina. "A gente não está tendo resposta porque dizem que tem uma fila muito grande", pontuou. 

"Fica até mais caro para o sistema de saúde. O exame que poderia detectar o problema mais cedo, com tratamento mais barato para o próprio Estado, fica mais caro. Uma coisa é pagar o exame, outra pegar o tratamento de um câncer", finalizou a recepcionista.  

Isabel aguarda por uma consulta com um neurocirurgião para conseguir fazer uma cirurgia na coluna (Foto: Milton Filho/ acidade on)

CONSULTAS 

A espera também é grande por consultas com especialistas. Ao todo, são 19 mil pacientes. 

É a situação da dona-de-casa, Isabel Cristina Grecco da Fonseca, de 59 anos, que faz acompanhamento na unidade de saúde do Parque São Paulo.  Ela precisa fazer uma cirurgia na coluna, mas antes depende de uma consulta com um neurocirurgião. 

"Já consegui fazer os meus exames, mas eu não consigo passar pelo neurocirurgião. Eu tinha uma consulta no dia 19 de abril, mas foi cancelada por falta de médico", explicou. 

Assim como a Isabel, 590 pessoas aguardam por consultas com neurocirurgião. 

CIRURGIAS 

Segundo a secretaria municipal de Saúde, ao todo, quase 1,6 mil cirurgias eletivas pendentes, sendo que a maioria de ortopedia (759). Existem ainda mais e 1,1 mil procedimentos oftalmológicos. Totalizando 2,7 mil cirurgias. 

FALA, PREFEITURA 

Por meio de nota, a prefeitura de Araraquara atribuiu os números à pandemia da covid-19, com interrupção de exames para diagnósticos e das cirurgias eletivas. "Toda a estrutura hospitalar estava direcionada para atendimento dos pacientes de covid-19, durante a pandemia", disse. 

Diante deste problema, o município afirmou estar dialogando com o Governo do Estado de São Paulo para que seja implementado, em caráter emergencial, um programa de enfrentamento dessas filas de pacientes que estão aguardando diagnóstico e cirurgias. 

Ainda segundo a nota, o município deverá investir R$ 2 milhões para dar vazão às filas. "No que cabe aos recursos próprios, a administração municipal, com verba do tesouro municipal e de emendas parlamentares, está, por meio do Programa Saúde Cidadã, comprando serviços para diagnósticos e também buscando nos hospitais da região a contratação de cirurgias", finalizou.

Mais notícias


Publicidade