Aguarde...

cotidiano

Fase verde da pandemia: veja o que muda em Campinas

Campinas permitirá reabertura de áreas de lazer de clubes, como piscinas, e esportes amadores; cemitérios reabrem dia 31 de outubro, pré-feriado de Finados

| ACidadeON Campinas

Campinas avançou nesta sexta-feira (9) para a fase verde do Plano São Paulo (Foto: Denny Cesare/Código19) 

Com o avanço para a fase verde anunciada nesta sexta-feira (9) pelo governo estadual, a Prefeitura de Campinas anunciou medidas que modificam comportamentos adotados desde março para controle da pandemia do novo coronavírus na cidade. As novas medidas foram anunciadas pelo prefeito Jonas Donizette (PSB) durante live no começo da tarde desta sexta-feira. 

Confira abaixo as novas regras estabelecidas por setor. Neste sábado a Prefeitura de Campinas publicará um decreto com todas as regras da nova etapa da flexibilização. 

CLUBES

Entre as regras está a reabertura de áreas de lazer de clubes, como a liberação do uso de piscinas e quadras, além da permissão para a prática de esportes amadores, como jogos de futebol. A permissão é para até 60% de capacidade de cada local.

CEMITÉRIOS


O prefeito afirmou que permitirá a reabertura dos cemitérios públicos e privados a partir do dia 31 de outubro, pouco antes do Dia de Finados, no dia 2 de novembro. A ideia é que as pessoas possam visitar túmulos de entes queridos em datas anteriores ou posteriores, para evitar aglomeração.

PARQUES PÚBLICOS E PRAÇAS DE ESPORTE

Em relação aos parques públicos, Campinas vai abrir na segunda-feira (12), feriado de Nossa Senhora Aparecida e Dia das Crianças, ainda dentro dos critérios da fase amarela - com 40% de capacidade. Na semana seguinte, do dia 19 de outubro, a Prefeitura deve começar a liberar o funcionamento de parques e praças de esportes com as regras da fase verde.  

LEIA TAMBÉM 
Covid-19: Campinas tem mais 5 mortes e passa de 70 mil casos descartados 
"Avanço de fase não é fim da quarentena em Campinas", diz secretário de Saúde


BARES E RESTAURANTES

Ainda segundo o prefeito, o decreto será publicado neste sábado (10), já valendo a partir de amanhã. Em relação a bares e restaurantes, a capacidade aumenta de 40% para 60%, das 5h às 22h. Em Campinas, a Prefeitura já permite uma tolerância de uma hora a mais à noite, mas para quem já estiver no estabelecimento.

EVENTOS CULTURAIS

Outra expectativa da fase verde é para o setor cultural, que poderá ter um pouco mais de flexibilidade a partir de agora. Na cidade, continuam proibidos eventos que gerem aglomeração, como festas, mas poderão ser realizados eventos com as pessoas sentadas, com capacidade também de 60%.

"Os eventos em pé, a partir de amanhã, conta-se 28 dias e serão liberados. Claro, com medidas de segurança, obrigação de uso de máscara, uso de álcool em gel e distanciamento social. Precisamos manter os cuidados", disse Jonas. Ainda não há informação sobre limitação ou não de público nesses locais.

Em relação às medidas de segurança do setor, existirá ainda a obrigação de controle de acesso. Isso inclui hora marcada e na venda de bilheterias físicas devem ser mantidos os protocolos sanitários, com distanciamento e filas com espaço demarcado.  

SHOPPINGS E COMÉRCIO 

Na fase verde, é previsto o aumento para 60% da capacidade máxima de ocupação dos estabelecimentos localizados em shoppings, comércios de rua, bares, restaurantes, salões de beleza, academias e atividades culturais. Com a mudança, o horário de funcionamento também passa a ser de 12 horas por dia. Na fase amarela, a capacidade permitida fica entre 30% e 40%, dependendo do setor. 

IGREJAS E TEMPLOS

Sobre as igrejas e templos, a situação se mantém a mesma, com 60% da capacidade de público permitida. O mesmo ocorre na educação - o retorno da rede municipal de Campinas está previsto para o ano que vem e o ensino continua remoto. Na rede privada, a volta é facultativa com 35% de capacidade, podendo subir para 70% após duas semanas de permanência da cidade no novo estágio.

CUIDADOS COM A SAÚDE

Sobre a situação epidemiológica, o secretário de saúde Carmino de Souza diz que a cidade deve manter o trabalho nas duas frentes - tanto nos leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para covid-19 e gerais - e não se pode baixar a guarda.

"Não podemos sob nenhum pretexto baixar a guarda ou desmontar a estrutura. A questão da pandemia continua. Estamos vendo uma região (Barretos) voltar para a fase laranja do Plano São Paulo. E as notícias do hemisfério norte não são boas notícias. Precisamos manter o cuidado muito grande", afirmou.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON