Aguarde...

ACidadeON

Economia

Empresa de sondas criada pela Queiroz Galvão pede recuperação judicial

| FOLHAPRESS

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A operadora de sondas de perfuração de poços petrolíferos Constellation (ex-Queiroz Galvão Óleo & Gás) deu entrada nesta quinta (6) com pedido de recuperação judicial para tentar equilibrar uma dívida de US$ 1,7 bilhão (R$ 6,6 bilhões, na cotação atual).Segundo a empresa, a medida faz parte de esforço para reestruturar o perfil de sua dívida, "o qual tem enfrentado desafios em razão das recentes desacelerações no setor de petróleo e gás, bem como da situação macroeconômica do Brasil, historicamente seu principal local de operação".Criada como uma subsidiária do grupo Queiroz Galvão, alvo da Operação Lava Jato, a empresa tem uma frota de oito sondas de perfuração de poços marítimos. Atualmente, uma delas está contratada para indiana ONGC, na Índia, e outra em final de contrato com a Petrobras.Dois novos contratos se iniciarão em 2019, um com a Shell e outro com a QGEP (Queiroz Galvão Exploração e Produção). Segundo a companhia, a reestruturação não afetará as operações.A Constellation era uma das parceiras da Sete Brasil, empresa operadora de sondas criada pela Petrobras durante o governo Lula para se tornar a principal fornecedora do pré-sal, mas que também teve que apelar a recuperação judicial depois da crise da estatal. A companhia já vinha tentando renegociar suas dívidas com os principais credores, mas avalia que não terá como cumprir os compromissos. "Esta medida tem como objetivo assegurar a manutenção do pagamento dos muitos colaboradores do grupo Constellation, assim como parceiros, fornecedores e todos os demais que mantém relação comercial com o grupo", disse, em nota. Segundo a empresa, o processo de recuperação conta com apoio da maioria dos credores e já tem um plano de reestruturação pré-acordado. O processo judicial está sendo conduzido com apoio dos escritórios Galdino & Coelho Advogados e White & Case LLP.A reestruturação econômica e financeira está sendo conduzida pelas consultorias Houlihan Lokey e Alvarez & Marsal.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários