Aguarde...

ACidadeON

Economia

Promotoria apresenta novas acusações contra Carlos Ghosn, preso desde novembro

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A promotoria japonesa apresentou novas acusações contra Carlos Ghosn, ex-presidente do conselho da Nissan preso em Tóquio desde 19 de novembro.O executivo foi agora acusado de reduzir suas declarações de rendimentos financeiros entre 2015 e 2018 e de abuso de confiança.Pela legislação do Japão, um suspeito pode ficar preso até 20 dias sob o argumento de não atrapalhar as investigações. Porém, se houver nova acusação, o tempo começa a contar novamente.Essas novas acusações também envolvem Greg Kelly, braço-direito de Ghosn liberado sob fiança em 25 de dezembro, e a própria Nissan, por suspeitas de ter dissimulado os valores pagos ao executivo.Os executivos e a empresa já haviam sido acusados em dezembro sob suspeita de dissimulação de ganhos em anos anteriores.Após a nova acusação, o advogado de Ghosn afirmou que pedirá a liberdade do executivo sob fiança.Porém na última quarta-feira (9), o Tribunal Distrital de Tóquio rejeitou um pedido de liberdade de Ghosn feito por sua defesa.Nesta quinta-feira, advogados de Ghosn também se queixaram de terem sido impedidos de ver seu cliente pela Justiça japonesa. Segundo a família de Ghosn, o executivo foi diagnosticado com febre alta.No início desta semana, Ghosn apareceu em público pela primeira vez desde a prisão e afirmou ser inocente, em uma audiência judicial.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários