Aguarde...

ACidadeON

Esportes

Palmeiras já pagou R$ 15 milhões a empresários em 2018

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Palmeiras já pagou R$ 15 milhões a empresários de jogadores em 2018, segundo documentos obtidos pela reportagem. Os pagamentos são referentes a comissões, intermediações e outros contratos relacionados a transferências de atletas.No total, a reportagem teve acesso a mais de 40 pagamentos feitos a 20 empresas em 2018. Os R$ 15 milhões pagos neste ano aos empresários representam mais do que a folha salarial do clube, na faixa dos R$ 13 milhões por mês. O valor ainda é três vezes maior do que o gasto com agentes em 2017, quando o clube também direcionou mais de 40 pagamentos por comissões, mas que alcançaram R$ 5 milhões, ultrapassando, assim, a marca dos R$ 20 milhões a empresários com Maurício Galiote como presidente.Procurado pela reportagem, o Palmeiras não quis comentar o assunto. Pessoas próximas à diretoria confirmam os valores, mas dizem que 90% dos pagamentos por intermediações estão abaixo do normalmente pago no mercado.Em geral, os agentes ficam com 10% das operações, mas, de acordo com elas, o time alviverde costuma desembolsar 7%. Outra defesa do clube é que os valores são sempre divididos em várias parcelas, para impedir que o clube pague altas quantias de uma só vez.Em 2018, o maior pagamento identificado como comissão foi direcionado à MB Serviços Digitais, de Marcelo Goldfarb e Bruno Paiva, que ficou com R$ 3,4 milhões por intermediação na negociação de Gustavo Scarpa, contratado junto ao Fluminense após disputa judicial.Já o maior pagamento da lista foi para o empresário Giuliano Bertolucci, que recebeu, em fevereiro deste ano, R$ 5,9 milhões. Segundo o clube, o valor não se trata de comissão, e sim da devolução de um empréstimo feito pelo agente ao Palmeiras em novembro de 2017 para a contratação de Diogo Barbosa.A LF Soccer Gestão, do agente Léo Ferreira, recebeu três parcelas de R$ 132 mil (totalizando R$ 396 mil) pela contratação do técnico Roger Machado, que chegou ao clube no fim de 2017, mas foi demitido em agosto deste ano e substituído por Luiz Felipe Scolari.A chegada do treinador pentacampeão do mundo também gerou débitos de comissão ao time alviverde. Em agosto deste ano, a JMB Esportes, do agente Jorge Machado, recebeu a primeira de 10 parcelas de R$ 187,7 mil - totalizando, assim, R$ 1,877 milhão prometido ao empresário pela operação.Agosto, aliás, foi o mês que mais gerou pagamentos deste tipo aos cofres do Palmeiras. Foram 28 operações distintas, entre os dias 6 e 31, que custaram mais de R$ 7 milhões.Empresa que mais aparece nessa relação de agosto, a Link Assessoria Esportiva, do agente André Cury, recebeu R$ 174,5 mil por duas parcelas na intermediação de Deyverson, mais R$ 153 mil por 1 de 5 parcelas de comissão pela chegada de Guerra e R$ 93,8 mil por Pedrão.Já uma companhia chamada Promoesport International 2015 SLU ficou com R$ 789,4 mil de comissão pelo volante Felipe Melo. A empresa ADM Esporte, de Cadu Araújo, por sua vez, levou, pela intermediação de Moisés, R$ 246,7 mil -a soma de 8 de 35 parcelas.Outra despesa de agosto foi com a empresa Villa Sport, de Edson Favarin, que recebeu a 5ª de 16 parcelas de R$ 93,8 mil pela transferência de Diogo Barbosa. Ela já havia recebido, em março, mais R$ 133,2 mil pela mesma operação.Ainda em agosto, o atacante Dudu gerou débitos parcelados ao clube com a Think Ball, do empresário Marcelo Robalinho. Foi quitada 1 de 7 parcelas de R$ 120,6 mil por intermediação na negociação do atleta.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários