Aguarde...

ACidadeON

Lazer e Cultura

Paulo Vilhena diz ser chocante fazer o pai de jovem de 18 anos em 'O Sétimo Guardião'

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Prestes a completar 40 anos, o ator Paulo Vilhena vive pela primeira vez o pai de um jovem de 18 anos na TV com o João Inácio de "O Sétimo Guardião", nova novela das 21h da Globo.Na trama de Aguinaldo Silva, o viúvo cria sozinho o filho Guilherme, interpretado por Caio Manhente, e vive uma relação conturbada de culpa com a ex-sogra Mirtes (Elizabeth Savalla), que coloca o neto contra o pai. "É uma família que não é mais uma família. A ex-sogra o culpa pela morte da filha e, por ser uma cidade pequena, todos acabam culpando-o também."Conhecido por interpretar adolescentes e jovens em séries e novelas, Vilhena diz que a maturidade assusta um pouco e que reflete sobre isso.  "Dá uma chocada na verdade. [...] Você se vê num momento de transição em um personagem com uma estrutura familiar onde você é o pai e não mais o filho. Você vê que o tempo passou. Mas é a lei natural da vida e traz uma possibilidade nova", disse o ator em entrevista a jornalistas. Vilhena começou na televisão aos 20 anos, como Gustavo, o galã da turma no seriado "Sandy & Júnior", na Globo (1999-2002). Passou por diversas novelas na emissora, como Coração de Estudante (2002) e Celebridade (2003-2004), sempre com personagens jovens e rebeldes."Minha vida artística começou aos 20 anos e se confundiu muito com os personagens nesse período. Na TV, meus personagens tinham o universo da rebeldia, da malandragem carioca e isso, às vezes, refletia na minha imagem pessoal na mídia. Mas as coisas foram se equalizando com a própria idade e fui fazendo personagens mais velhos", afirma.Ele diz ainda que, nos 20 anos de sua trajetória profissional, passou pela transição do papel de adolescente para o jovem e, depois, um adulto mais maduro. "Isso se misturou com meu próprio crescimento na vida e o resultado final é positivo."Um de seus papéis de maior destaque foi em outra novela de Aguinaldo Silva, "Império" (2014-2015), em que interpretou o pintor esquizofrênico Salvador. Desta vez, como João Inácio, encara o papel de um alcoólatra."Como fiz para interpretar Salvador, estudei muito o que de fato é a doença em si. O alcoolismo cria um buraco existencial", descreve.O artista conta que ser personagem tem uma vida burocrática e solitária e usa o bordel da cidade como uma válvula de escape. Ali, divide cenas de dança de tango com Stefânia, interpretada por Carol Duarte.Vilhena, que já participou do quadro Dança dos Famosos do Domingão do Faustão, disse ter encarado bem as cenas de dança. "Na métrica, não é dança difícil. Difícil mesmo é você se apoderar da força do tango, entender o mise en scène. E o mais interessante é ver como o personagem entra naquele corpo, naquela relação."

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários