Publicidade

no pé do café

As folhas do seu cafezal estão pequenas? Pode ser falta de zinco

Saiba tudo sobre esse micronutriente

| No Pé do Café -

Estamos no verão, época com boas temperaturas, bastante umidade no solo e no ar e muita luz, levando as plantas a atingirem seu máximo desenvolvimento. Elas crescem, aumentam as folhas, produzem reservas que serão utilizadas na próxima safra, aumentam as raízes e se estruturam para alcançar a alta produtividade. O paraíso das plantas!

Mas, se faltar zinco, tudo isso pode ser perdido! As folhas travam, pois esse elemento tem a capacidade de trabalhar todo o desenvolvimento da planta e, consequentemente, sua falta prejudica toda a perspectiva de boas safras.

Mas fique tranquilo! Isso só irá ocorrer se você não fornecê-lo corretamente, afinal, o zinco é o segundo micronutriente mais importante para o cafeeiro, perdendo apenas para o boro.

FORNECIMENTO DE ZINCO NO CAFEZAL

Ele é fornecido para as plantas em quase todas as pulverizações foliares, por isso muitos cafeicultores não conhecem o risco de não aplicá-lo corretamente.

A variação de tempo da pulverização deste micronutriente depende do clima. Se a lavoura estiver crescendo muito (clima favorável), a demanda por zinco acaba sendo alta.

Uma lavoura nova, em desenvolvimento e em clima ideal, pode chegar a até 18 dias de intervalo entre as pulverizações. Já uma lavoura adulta, com clima ruim, pode chegar a até 60 dias sem precisar de fornecimento de zinco.

O comum é precisar a cada 40 dias, a depender do clima e desenvolvimento da planta.

Resumindo: se a planta cresceu irá precisar de zinco, já no inverno como a planta não cresce devido ao clima, não precisa.

Todo fornecimento de zinco para o cafeeiro deve ser direcionado para a pulverização foliar, a eficiência é muito superior se comparada à via solo.

A aplicação pelo solo pode até ter algum efeito no cafeeiro, contudo, não podemos contar que esse aporte irá garantir todo o fornecimento necessário para a planta, sobretudo em plantações de média a alta produtividade.

Nas lavouras de montanha, muitos cafeicultores insistem em trabalhar apenas desta maneira e dizem dar certo; entretanto, pode chegar um momento em que as reservas de zinco no solo irão se esgotar e a produtividade irá diminuir.

IMPORTANTE: o fornecimento via folha, apesar de todos os transtornos, é o único caminho para a alta produtividade.

SINTOMAS DE FALTA DE ZINCO

O mais comum é quando as folhas novas do café ficam pequenas e finas.

Muitas das vezes se confunde com intoxicação por glifosato, a grande diferença é que o glifosato sempre aparece na parte debaixo da planta e a falta de zinco nas partes altas.

Pelo zinco ter a capacidade de travar o crescimento do cafeeiro, ele pode atrapalhar o desenvolvimento da parte superior e esse sintoma de achatamento da copada ocorre, justamente, pela deficiência de micronutrientes, especialmente zinco e boro.

O principal sintoma é a paralisação no crescimento das raízes, sendo este, portanto, outro bom motivo para você focar no fornecimento via folha.

QUANTIDADE DE ZINCO A SER APLICADO NO CAFEZAL

Por fazer parte dos micronutrientes é aplicado em baixas quantidades, variando de 2kg a 5kg por hectare dos produtos comerciais.

Muitos cafeicultores se preocupam com a possibilidade de intoxicar o café. Isso é muito difícil de ocorrer, mesmo usando doses acima do recomendado.

O importante é identificar corretamente a deficiência, pois, em lavouras novas e brotas, a intoxicação é mais fácil de ocorrer quando utilizamos doses altas e aplicações sequenciais. A planta também poderá ser prejudicada se você usar doses altas no solo.

QUAL PRODUTO UTILIZAR

As principais fontes de zinco são produtos à base de: sulfato, óxido e carbonato.

Entretanto, também podem ser fornecidos quelatos. Estes possuem a função de potencializar o nutriente, melhorando sua eficiência na planta. Todavia, o grande problema é que existem quelatos bons e ruins e, alguns podem não entregar o resultado prometido.

DICA: utilize produtos com bons resultados de pesquisa.

MITOS SOBRE ZINCO

Não pode ser aplicado quando a planta está botulando para florir, pois aborta as flores:
Atualmente, há trabalhos consistentes de pesquisas que provam que o zinco não atrapalha em nada a florada do café.

Não faz efeito na primeira foliar do ano:
Na realidade ele faz efeito, no entanto, não conseguimos ver as respostas das folhas.

Você não pode misturar com outros produtos no tanque, pois causa incompatibilidade:
O zinco possui alguns problemas de incompatibilidade, mas pequenos. Eles não prejudicam, de forma significativa, outros produtos no tanque. Se alguma empresa de defensivos agrícolas afirmar que o zinco atrapalha o efeito do fungicida, basta aumentar em 10% a dose do fungicida que se resolve.

A nutrição da lavoura não interfere diretamente na qualidade de bebida do café:
Já tem estudos comprovando o contrário.

Mitos esclarecidos, mas ainda tem dúvidas? Assista ao vídeo completo:   



Publicidade