Publicidade

onrun

Quem corre seus males espanta: a prática de atividade física e os benefícios à saúde

Caminhada ou corrida de rua? Não importa! Pesquisas apontam que a prática esportiva regular derruba o sedentarismo e ajuda a poupar 4 milhões de vidas ao ano em todo mundo

| ON Run -

Corredores de rua possuem uma vida mais saudável. (Crédito: freepik).
 

A prática de atividade física faz um bem danado à saúde. Esta constatação não é conversa pra boi dormir, não é chover no molhado e nem forçação de barra da galera do ONRUN. É cientificamente comprovado, mesmo!

A ciência aliada ao esporte mostra que a prática regular de exercícios físicos, independentemente de quais sejam, é transformadora. Quem decide abandonar de vez o, desculpe a expressão, o maldito do sedentarismo, descobre que a conexão com os exercícios físicos só oferece benefícios. 

Correr, caminhar, pedalar... não importa! A atividade física, desde que seja desempenhada de maneira segura e correta, salva vidas, ajuda no rejuvenescimento, na longevidade, no sistema imunológico e até no processo de socialização. Bora conhecer esses tão indispensáveis benefícios? Partiu!

1. Atividades físicas previnem milhões de mortes todos os anos 

O sedentarismo mata! Não é exagero, é um fato determinante. As mortes provocadas pelo sedentarismo, que também é chamado de doenças hipocinéticas, estão entre as maiores causas de óbitos em todo mundo, em especial, nos países mais desenvolvidos.

Essa relação ficou ainda mais evidente em um estudo realizado pelos pesquisadores das universidades de Cambridge e Edimburgo no Reino Unido que analisaram dados de 168 países. 

A base da pesquisa foram os países que seguem as recomendações e diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS). Ao compararem os dados entre as pessoas sedentárias e ativas mais o número de óbitos em determinados países, foi observado que graças à frequência da prática de atividade física foi possível chegar ao percentual de 15% menos mortes prematuras. Isso quer dizer que quase quatro milhões de vidas foram poupadas. 

Embora os pesquisadores tenham encontrado uma variação significativa no nível de atividade física entre os países, eles concluíram que a prática de exercícios contribuiu para a saúde preventiva da população.

2. Os exercícios e a longevidade 


Em todo o mundo, profissionais de áreas como saúde e esporte desenvolvem pesquisas para entenderem a relação entre a atividade física e a longevidade. Com isso, por meio dos resultados obtidos, a ciência pode e deve ajudar as pessoas a viverem mais e melhor. 

De tempos em tempos são divulgadas pesquisas relacionando a expectativa de vida em alguns países com a prática de atividade física. Os cientistas acreditam que essa relação é essencial para quem quer ter qualidade de vida.

Os benefícios da atividade física não se restringem apenas a melhorar componentes fisiológicos e capacidades físicas como força, resistência e velocidade. Os benefícios também contam com a presença marcante e necessária da longevidade. 

Uma das pesquisas que teve destaque recentemente trata da capacidade que a atividade física tem de: diminuir o estado inflamatório crônico provocado pelo avançar da idade. Se você não for um alienígena, também vai envelhecer e a corrida de rua, por exemplo, pode ajudar a retardar este processo. 

A liberação dessas moléculas na corrente sanguínea durante e após os exercícios geram efeitos rápidos como: 

- Estimula e liberação de alguns tipos de hormônios;
- Facilita a queima de gordura e diminui a glicemia;
- Provoca a sensação de bem-estar e alivia o estresse;
- Reduz de maneira imediata o risco de problemas cardiovasculares. 

Existem algumas regiões do globo conhecidas como "zonas azuis" onde se encontram as pessoas mais idosas do mundo, em sua grande maioria, a atividade física está presente periodicamente. 

Para que isso ocorra, a atividade precisa ser prazerosa e, principalmente, que você possa praticá-la durante toda vida. Por isso, a corrida de rua tem o seu espaço garantido, sendo uma das práticas esportivas com maior longevidade. Não é difícil encontrar jovens senhores com 70, 80, 90 e até 100 anos correndo por aí. Você conhece algum?

3. Os exercícios e o rejuvenescimento

Quem corre seus males espanta e as belezas atraem. Vou explicar: os benefícios da atividade física para a saúde e para a qualidade de vida das pessoas é quase que um consenso na literatura. 

O que também tem caminhado nessa direção são os benefícios específicos da corrida de rua, que passou a ter cada vez mais participantes. Com isso, também aumentaram as pesquisas científicas relacionadas à prática da corrida com a saúde do praticante. 

Em um desses estudos foi analisada a relação entre a maratona e o rejuvenescimento das artérias do coração. Por isso, é possível afirmar que correr maratona vai deixar você mais jovem. 

O estudo acompanhou 138 maratonistas iniciantes. Eles tiveram as artérias do coração examinadas por um exame de ressonância nuclear magnética antes de iniciar os treinamentos e três semanas após a prova. Os resultados apontados pelo estudo mostraram que as artérias estavam quatro anos mais jovens e apresentando menos rigidez.

No processo natural do envelhecimento, as artérias ficam mais rígidas e perdem seu potencial de elasticidade. Isso favorece o aumento da pressão arterial e o risco para várias tretas mortais como infarto, AVC e outros agravos à saúde das pessoas.

Então, fica a dica para você que está pensando em sair do sedentarismo e iniciar uma atividade física. Vale lembrar que antes de iniciar a prática da corrida, o recomendado é procurar ajuda médica para fazer os exames e, em seguida, um profissional de educação física para prescrever seus treinos de forma segura. 

4- Corrida de rua e saúde do corpo 

Os pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no artigo publicado intitulado "Efeito do exercício no sistema imune: resposta, adaptação e sinalização celular", promovem uma discussão sobre como os exercícios físicos podem ajudar a melhorar o sistema imunológico;

A referência dos pesquisadores são os marcadores bioquímicos do sangue. O artigo faz uma relação entre variáveis bioquímicas importantes para buscar entender qual o tipo de exercício físico, o volume, a intensidade e as variáveis de controle para proporcionar a sensibilização das células responsáveis pela defesa do organismo.

O estudo foi feito com 36 voluntários (mulheres e homens) com idades entre 40 e 70 anos. Os voluntários foram submetidos a testes físicos e marcadores bioquímicos, através da coleta de sangue em tempo pré-determinado, durante e após o exercício.

De acordo com os pesquisadores, o treino é capaz de provocar, por exemplo, uma série de adaptações hormonais, durante e após sua prática.

Treinos com predominância para o trabalho de força, que são mais intensos, podem gerar: 1) aumento da secreção de testosterona; 2) alterações que melhoram o funcionamento da insulina nos tecidos e nos músculos e 3) o controle da glicose sanguínea. Resumindo: as suas taxas melhoram e sua saúde também. 

O impacto para a saúde depende de muitas variáveis, cada estímulo gera uma reação e adaptações específicas. Por isso, é muito importante fazer as avaliações físicas e exames médicos para saber qual é a sua necessidade e programar o treino ideal. Aquele que se encaixa na sua realidade e no seu metabolismo.

É importante reforçar que, embora seja culturalmente valorizada em nossa sociedade, o peso corporal é uma das variáveis na qual podemos interferir e ajudar o praticante, mas ao realizar uma atividade física, os benefícios vão muito além disso. 

Corra sim, mas beba água 

As informações trocadas dentro do nosso corpo são comunicadas através de sinais elétricos, sendo o meio líquido fundamental para que elas cheguem com rapidez ao seu destino. 

O problema é que muitos corredores não se hidratam de forma adequada durante os treinos, pois alguns acham que perdem tempo, outros porque ficam com medo de dores ou incômodos. 

A água é primordial para a manutenção das funções do corpo. Vale lembrar que a sede é o primeiro sinal de desidratação e, em estágio de desidratação, o corpo perde muito do seu desempenho. 

O ideal é tomar cerca de 400 a 600 ml por hora, ou melhor, cerca de 50 a 100 ml a cada 15 minutos, reforçando que não é uma receita e pode variar de pessoa para pessoa. 

Uma forma de medir é: se pesando antes e logo após os treinos. Assim, será possível passar a informação para o nutricionista sobre o seu processo de desidratação a cada treino. 

Pessoas hipertensas devem redobrar a atenção com a sua hidratação, não só durante a corrida, mas também no dia a dia. Isso porque a desidratação faz a densidade do sangue aumentar, fazendo com que ele fique mais grosso e acaba forçando o coração a bater mais rápido para suprir as necessidades do corpo. A pressão arterial está associada com a passagem do sangue pelas artérias.

Como já foi dito neste texto repetidas vezes, o ideal é ter sempre a orientação de especialistas para que você possa evitar o castigo do seu corpo e colocar em risco o tão sonhado abandono do sedentarismo. 

Correr pode ajudar na eficácia das vacinas contra a covid 19 

A prática de atividade física regular, de intensidade média a alta, pode potencializar a eficácia das vacinas. Uma pessoa que se exercita com frequência possui 50% mais chances de produzir mais anticorpos após a imunização do que uma pessoa sedentária. Os dados são de uma pesquisa publicada no fim de abril de 2021 na revista científica Sports Medicine. 

As vacinas carregam um pedaço do agente infeccioso ou ele inteiro e inativo incapaz de gerar doença para fazer o corpo fabricar os anticorpos antecipadamente e, assim, proteger contra o surgimento da enfermidade quando o patógeno ativo tenta infectar. 

O estudo foi conduzido por um grupo de cientistas de instituições de pesquisa da Europa. Para chegar ao dado, os pesquisadores fizeram uma revisão de diversos experimentos realizados anteriormente. 

Foram analisadas pesquisas que investigaram ainda a relação entre atividade física e resultados na vacinação contra gripe, pneumonia e o vírus da varicela (catapora). 

Além da detecção de taxas maiores de anticorpos nas pessoas fisicamente mais ativas, elas também foram capazes de produzir mais linfócitos do tipo T, que produzem outras substâncias de defesa e, segundo estudos recentes, têm um papel relevante na proteção contra o Sars-Cov-2. 

Confira o estudo financiado pela FAPESP: https://agencia.fapesp.br/pessoas-fisicamente-ativas-respondem-melhor-a-vacina-contra-covid-19-indica-estudo/36542/

A Corrida pode te tornar referência e protagonista da sua própria vida 

Talvez, ao ver algumas pessoas praticando a caminhada ou aquele trote de leve, você deve se perguntar se adianta alguma coisa. 

Esse tipo de pergunta é muito comum, pois provavelmente você está acostumado a ver a prática da corrida com foco na performance, afinal de contas, fomos estimulados na educação física escolar a competir, além da mídia estimular bastante essa ideia de corrida de rua, quando focam somente em mostrar apenas os primeiros colocados em uma prova. 

A ansiedade também não ajuda e quem começa acha que já vai iniciar correndo, assim como os atletas profissionais.
Mas calma, nesse início você precisa criar o hábito, dar o primeiro passo para entender a importância de praticar a corrida, ler e se informar, para entender o real motivo pelo qual você deseja dedicar alguns momentos durante a semana a este exercício. 

Quando for iniciar na prática, vale a pena ir até um parque ou uma assessoria esportiva em sua cidade e observar as pessoas correndo. Você perceberá que tem todos os estilos e biótipos realizando a corrida de rua. Observe a postura, a concentração, perceba que cada um tem um estilo, um jeito, uma respiração mais ou menos ofegante. Mas independente disso, uma coisa é certa: correr não é uma das tarefa mais fáceis, é uma questão pessoal, uma mudança para melhor em seu estilo de vida e isso tem um preço, principalmente se você aspira se tornar uma referência de verdade e inspirar as outras pessoas do seu ciclo social. 

Parece óbvio, mas a corrida é o seu momento e o momento de se reconectar com você mesmo, de sentir o seu corpo, ouvir sua respiração e suas passadas, é uma sensação de liberdade única onde realmente nos sentimos livres, leves e soltos por alguns momentos. 

E pode até parecer contraditório, mas a melhor parte é quando termina. Quando você finalizar seu treino você sentirá a sensação da endorfina no seu corpo. Prova disso é que dificilmente você encontrará um grupo de corredores rabugentos, principalmente após o treino sempre estão todos muito alegres e as risadas predominam. 

Veja bem, a corrida não irá resolver todos os seus problemas e nem é mágica, é uma questão bioquímica: ao praticar a corrida mantemos a fonte energética ligada por mais tempo, que sensibiliza alguns hormônios e neurotransmissores, dando essa sensação de bem estar. 

Vale destacar que outras atividades como comer e beber também nos dá essa sensação, mas por serem de fácil acesso, o risco de exagerarmos na dose é grande e seus efeitos são contrários ao bem-estar e a saúde. Por não ser muito fácil treinar, a corrida nos educa, pois antes de tudo você pensará que não é justo estragar um dia ou uma boa sequência de treinos com uma alimentação exagerada ou ruim. 

Se estiver treinando para uma meia ou maratona, precisará de mais disciplina ainda e isso é algo que a corrida te ensinará a ter. A disciplina nos liberta. Os disciplinados são livres, sabem o que querem e terão o que querem! Dessa forma, com certeza você se tornará referência no seu círculo social e protagonista da sua própria vida. 

Faça bons treinos, seja livre e lembre-se: corrida não é só correr! 


https://www.acidadeon.com/on-run/NOT,0,0,1579208,a-corrida-de-rua-realmente-e-para-todos-.aspx

Mais notícias


Publicidade