ACidadeON

Política

No exterior, defesa diz que Lula é vítima de 'farsa' para tirá-lo da eleição

LAVA JATO LULA MORO PRISÃO defesa exterior

| Estadao Conteudo

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou nesta terça-feira, 3 a difundir fora do Brasil a tese de que o petista é vítima de uma "farsa", pela qual vem sendo impedido de fazer sua pré-campanha ao Palácio do Planalto. O advogado que defende o petista nas Nações Unidas, Geoffrey Robertson, concedeu uma entrevista coletiva para a imprensa estrangeira, na qual afirmou que Lula foi condenado em um processo em que não teria sido encontrada nenhuma evidência de contrapartida para os supostos atos de corrupção atribuídos a ele.

A coletiva ocorreu em Genebra, onde fica o Comitê de Direitos Humanos da ONU (EACDH). O advogado britânico disse que Lula "continua lutando" pela sua liberdade e para manter seus direitos políticos, mas que a situação está se tornando "dramática" devido à proximidade do período eleitoral.

O advogado, que falou ao lado de Valeska Teixeira Zanin Martins, que também integra a defesa do ex-presidente, reiterou críticas ao processo conduzido pelo juiz Sergio Moro e disse que ele se comportou como os "juízes da inquisição". "É como se a polícia conduzisse uma investigação e depois tirasse o capacete e colocasse a toga", comparou.

Citando ainda o comentário feito em 2017 pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), para quem a sentença de Moro foi "irrepreensível", o defensor disse que o processo todo "foi uma farsa, comandada por um grupo de juízes determinados a destruir Lula como candidato".

Em maio, o EACDH rejeitou o pedido de cautelar da defesa para que o ex-presidente fosse solto no Brasil, mas disse que continuaria a avaliar a admissibilidade e seu mérito. A própria comissão, no entanto, avisou que dificilmente teria uma posição final antes do final do pleito eleitoral deste ano.

Robertson disse que o órgão das Nações Unidas recomendou ao Brasil que não tomasse "nenhuma atitude para frustrar o caso ou tornar a decisão do comitê inútil". À ONU, o governo brasileiro negou que o ex-presidente sofra perseguição política.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Cadastrados

Nome (obrigatório)
Email (obrigatório)
Comentário (obrigatório)
0 comentários