Aguarde...

ACidadeON

vidaeestilo

Saiba em quem as celebridades devem votar para presidente no domingo

| FOLHAPRESS

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em 2014, os então presidenciáveis Dilma Roussef (PT) e Aécio Neves (PSDB) mobilizaram um batalhão de artistas em suas campanhas eleitorais, despejando elogios e cantando jingles. Neste ano, a quatro dias do primeiro turno, as celebridades parecem mais receosas de embarcar na campanha presidencial e têm mantido as declarações de apoio limitadas a posts nas redes sociais. O candidato líder nas pesquisas de intenção de voto, Jair Bolsonaro (PSL), é de longe o que mais mobiliza a classe artística —talvez mais contra sua campanha do que a favor. O movimento contrário a Bolsonaro levou famosos às ruas no Rio de Janeiro, São Paulo e Lisboa, em Portugal, em 29 de setembro. Nas redes sociais, a hashtag EleNão invadiu os perfis de artistas nacionais e internacionais, de Deborah Secco e Camila Pitanga a Madonna e Lauren Jauregui, do grupo Fifth Harmony. Já os adeptos do capitão incluem o vocalista do Ultraje a Rigor, Roger Moreira, que chegou a visitar o candidato no hospital após o atentado a faca sofrido em ato de campanha em Juiz de Fora (MG). A dupla Pepê e Neném e Zilu Camargo, ex-mulher de Zezé de Camargo, também afirmaram seu apoio a Bolsonaro. Em segundo nas pesquisas, Fernando Haddad (PT) conta com o apoio de Chico Buarque, Clarice Falcão e Maria Ribeiro, entre outros. Marina Silva (Rede) tem atores consagrados na lista de apoiadores, como Marco Nanini e Marcos Palmeiras. Já Ciro Gomes (PDT) manteve o apoio da ex-mulher, a atriz Patricia Pillar, além de Caetano Veloso e Emílio Dantas. Novato na disputa, Guilherme Boulos (PSOL) angariou apoio de artistas engajados, como os atores Wagner Moura e Sônia Braga. Outro novato, João Amoêdo (Novo) tem o voto da atriz Alessandra Maestrini e Thiago Glagliasso, irmão de Bruno Gagliasso.  A mais recente pesquisa Datafolha, divulgada na terça (2), aponta Bolsonaro com 32% das intenções de voto. Haddad tem 21%, Ciro alcança 11%, empatado com Geraldo Alckmin (PSDB), que tem 9%. Marina foi para 4%. O levantamento foi realizado com 3.240 eleitores em 225 municípios brasileiros na terça. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-03147/2018.

Veja também