Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

Noticias

Crise na Argentina pode impactar indústria da RMC

O recente pacote econômico anunciado pelo governo argentino, que incluiu congelamento de preços, pode impactar na região

| ACidadeON Campinas

diretor titular interino do Ciesp-Campinas, José Henrique Toledo (Foto: Divulgação) 

O recente pacote econômico anunciado pelo governo argentino, que incluiu congelamento de preços no país vizinho, pode trazer impactos negativos para a indústria da RMC (Região Metropolitana de Campinas). Essa é a avaliação do diretor titular interino do Ciesp-Campinas, José Henrique Toledo Corrêa, na apresentação das Pesquisas Sondagem Industrial, Nível de Emprego e Balança Comercial Regional. 

A preocupação do Ciesp-Campinas se justifica pelo fato da Argentina ocupar a segunda posição no ranking dos destinos das exportações da indústria regional. Na média dos últimos anos, a participação das exportações de produtos da região de Campinas para a Argentina gira em torno de 15 a 17%. No período de janeiro a outubro de 2018 o volume exportado atingiu US$ 452,4 milhões.

Tanto o diretor do Ciesp-Campinas, José Henrique Toledo Corrêa, como a diretora adjunta do departamento de Comércio Exterior da entidade, Carmen Pavin, manifestaram preocupação com o prolongamento da crise argentina, que a médio prazo pode refletir na queda das exportações regionais para aquele país.

Os principais produtos exportados pela região para a Argentina são veículos e autopeças, equipamentos de informática e produtos eletrônicos e papel e celulose.

Os diretores do Ciesp-Campinas avaliaram que uma possível saída para a queda no fluxo comercial, pode estar na intensificação dos contatos comerciais, com missões de empresários dos dois países buscando novos nichos de negócios.

Na apresentação das pesquisas, o nível de emprego da indústria da região de Campinas em março apresentou saldo negativo de 200 demissões. No acumulado dos primeiros três meses do ano o saldo é 600 demissões. Para o diretor José Henrique, esses números negativos demonstram a expectativa dos empresários por fatos positivos, que os estimulem para a retomada do crescimento.

"A sobrevivência das empresas passa pela aprovação das Reformas da Previdência, seguida pela Tributária", afirma o diretor do Ciesp-Campinas.

Na pesquisa Sondagem Industrial do Ciesp-Campinas mais de 95% dos respondentes consideraram a Reforma da Previdência como fundamental e obrigatória e importante. Esse índice, na avaliação da entidade demonstra claramente a expectativa do setor industrial.

Em março de 2019, as exportações da região de Campinas foram de US$ 275,9 milhões e as importações US$ 793,8 milhões. A corrente de comércio exterior (somatório das exportações e importações) em março foi de US$ 1,69 bilhão 5% maior quando comparada com março de 2018.

Mais do ACidade ON