Depois de menor taxa em 39 dias, ocupação de UTI cresce de novo Depois de menor taxa em 39 dias, ocupação de UTI cresce de novo

Depois de menor taxa em 39 dias, ocupação de UTI cresce de novo

Campinas atingiu ocupação de 86,13% nesta sexta-feira (24); índice ontem era 84,35% - menor taxa desde o dia 14 de junho

Taxa de ocupação de leitos de UTI voltou a subir nesta sexta-feira (24) (Foto: Carlos Bassan/PMC) 

A taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para pacientes com coronavírus em Campinas voltou a subir nesta sexta-feira (24) após ter atingido ontem o menor índice em 39 dias. Segundo boletim da Prefeitura, hoje as redes pública e privada da cidade estão com lotação de 86,13%. Na quinta, o total era de 84,35%.

Apesar do aumento, nesta sexta a região deCampinas foi reclassificada para a fase laranja do Plano São Paulo.Apesar do índice de ocupação de UTI estar acima de 80% na cidade, é o índice da região que conta para o avanço na flexibilização da quarentena.

Ainda nesta sexta, Campinas anunciou mais 15 mortes por covid-19, chegando a 618 vítimas fatais, e também alcanço o número de 15.629 casos confirmados na cidade(leia mais aqui).

Sobre a ocupação, dos 411 leitos disponíveis para pacientes com covid-19, 354 estão ocupados, o que corresponde a 86,13%. Há 57 leitos livres somando as redes pública e particular.

COMO ESTÁ A REDE

Os leitos de UTI são distribuídos no boletim conforme a gestão deles. No SUS municipal, a taxa de ocupação é de 94,19%. Há 9 leitos livres de um total de 155.

No SUS estadual - que é o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) e o HC (Hospital de Clínicas) da da Unicamp) - a taxa é de 87,1%. Há 12 leitos livres de um total de 93. Por fim, na rede particular, dos 163 leitos, 127 estão ocupados, o que equivale a 77,91%. Há 36 leitos livres.

Mais Notícias

Mais Notícias