Taxa de ocupação de leitos UTI tem menor índice em 39 dias Taxa de ocupação de leitos UTI tem menor índice em 39 dias

Taxa de ocupação de leitos UTI tem menor índice em 39 dias

Cidade atingiu nesta quinta-feira (23) ocupação de 84,35%; índice menor ocorreu somente no dia 14 de junho

Leito do Hospital Metropolitano, contratado pela rede pública durante epidemia de covid-19 (Foto: Fernanda Sunega/PMC)

Campinas atingiu nesta quinta-feira (23) a menor taxa de ocupação de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para pacientes com covid-19 desde o dia 14 de junho. Segundo balanço divulgado hoje, o índice nas redes públicas e privadas é de 84,35%.

Somente há 39 dias que a taxa atingiu percentual menor que este, de 84,22% (veja levantamento abaixo). Ontem o total era de 85,33%. Apesar do índice acima de 80% no município, é a taxa da região de Campinas como um todo que conta para a possibilidade de passar de fase no Plano São Paulo. Atualmente, a região está na terceira semana de fase vermelha do plano.

De acordo com os dados da Prefeitura de Campinas, dos 409 leitos de UTI exclusivos para pacientes com covid-19, 345 estão ocupados. Há 64 leitos livres somando as redes pública e particular. Ainda hoje, Campinas passou de 600 mortes pelo novo coronavírus e chegou a 14.962 casos confirmados (leia mais aqui).

COMO ESTÃO

Os leitos são divididos por gestão. Na rede municipal, dos 155 leitos, 144 estão ocupados, o que equivale a 92,90%. Há 11 leitos livres.

Na rede Estadual - que envolve o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) e HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp), dos 93 leitos, 81 estão ocupados, o que corresponde a 87,10%. Há 12 leitos livres. Já na rede particular, são 161 leitos, dos quais 120 estão ocupados, o que equivale a 74,53%. Há 41 leitos livres.

HISTÓRICO


A taxa de ocupação de Campinas tem oscilado nas últimas semanas, com períodos de quedas consecutivas e estabilizações. No entanto, o período mais crítico ocorreu em meados de junho, quando Campinas enfrentou dias de ocupação total na rede pública de saúde.

A lotação ocorreu no SUS municipal, que chegou a ficar quatro dias com 100% das vagas ocupadas (leia mais aqui). Depois disso, o município abriu mais leitos e contratou também da rede particular.

JULHO


23/07 - 84,35%
22/07 - 85,33%
21/07 - 87,04%
20/07 - 86,45%
19/07 - 86,20%
18/07 - 85,46%
17/07 - 85,71%
16/07 - 85,85%
15/07 - 86,58%
14/07 - 87,70%
13/07 - 88,05%
12/07 - sem divulgação
11/07 - 89,40%
10/07 - 89,61%
09/07 - 86,63%
08/07 - 88,65%
07/07 - 89,97%
06/07 - 90,23%
05/07 - sem divulgação
04/07 - sem divulgação
03/07 - 87,07%
02/07 - 88,17%
01/07 - 89,33%

JUNHO

30/06 - 87,43%
29/06 - 89,54%
28/06 - 88,85%
27/06 - 89,40%
26/06 - 90,98%
25/06 - 88,79%
24/06 - 90,16%
23/06 - 89,14%
22/06 - 89,21%
21/06 - sem divulgação
20/06 - sem divulgação
19/06 - 88,6%
18/06 - 85,8%
17/06 - 86,58%
16/06 - 88,5%
15/06 - 86,83%
14/06 - 84,22%
13/06 - 85,17%
12/06 - 86,54%
11/06 - 84,93%
10/06 - 82,35%

Mais Notícias

Mais Notícias