Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Engenheiro só percebeu que foi baleado quando saiu da igreja

O engenheiro civil Ludar Brognoni foi uma das vítimas sobreviventes do ataque na Catedral Metropolitana de Campinas; ele foi alvejado no braço e na mão

| ACidadeON Campinas

Ludar Brognoni foi alvejado no braço e na mão (Foto: Wesley Justino/EPTV) 

O engenheiro civil Ludar Brognoni, de 64 anos, foi uma das vítimas sobreviventes do ataque na Catedral Metropolitana de Campinas, na tarde de terça-feira (11). Ele foi alvejado duas vezes, mas só percebeu os tiros quando saiu do templo.  
 
LEIA MAIS 
Casal vítima de atirador mudou rotina no dia da tragédia
Corpos de vítimas de massacre da Catedral são velados
Atirador criticava Igreja, fez sucesso com mulheres e tinha depressão
Atirador da Catedral morava com o pai e vivia "recluso"
Polícia faz varredura para identificar motivação de ataque 

Brognoni contou que sempre que tem um tempo passa na Catedral e ontem não foi diferente. Uma folga logo depois do almoço foi a brecha que ele aproveitou para fazer suas orações. Os tiros foram no braço e na mão e o sentimento de alívio e agradecimento pela sobrevivência serão carregados junto com suas cicatrizes.

"Fiquei ajoelhado uns dez minutos, e depois me sentei no banco. De repente ouvi dois estalos do meu lado direito. Achei que fosse molecada com bomba, mas quando olhei vi o rapaz atirando", contou.

Assim que percebe o homem atirando, o engenheiro se levanta e tenta correr para a saída, mas tropeça e cai junto com outra pessoa. Neste momento ele é alvejado pelo atirador.

"Eu estava a cerca de oito metros do atirador. Comecei a correr, cai, levantei e fui para fora. Mas eu só vi que fui atingido quando estava do lado de fora. O tiro atravessou minha mão e a carteira que eu estava carregando", disse.

Quatro pessoas foram mortas e outras quatro foram baleadas na ação do atirador, que cometeu suicídio na sequência.   
 
(Com informações: Wesley Justino/Produtor da EPTV)
 

Mais do ACidade ON