Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Proposta de 13º para vereadores gera bate-boca na Câmara

Como era de se esperar, ideia em discussão na Mesa Diretora provocou polêmica na sessão desta quarta-feira (13)

| ACidadeON Campinas

A vereadora Mariana Conti (Psol), de Campinas. (Foto: Câmara de Campinas) 

A proposta de pagar 13º salário para os vereadores de Campinas, em análise pela Mesa Diretora da Câmara, provocou bate-boca entre parlamentares no plenário na sessão da noite desta quarta-feira (13). A notícia foi revelada ontem (12) pelo ACidade ON Campinas.

O assunto está em análise pela Procuradoria Jurídica da Casa, e, se aprovada, valerá somente a partir da próxima legislatura, que começa em 2021.
Atualmente, o salário do vereador em Campinas é de R$ 10 mil. A Câmara se vale de uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de 2017 que permite o pagamento do benefício para integrantes de câmaras municipais e assembleias legislativas.

DISCUSSÃO 

Na noite desta quarta, o assunto foi levado à tribuna pela vereadora Mariana Conti (Psol). Ela disse que o pagamento é "imoral" e pediu que o presidente da Casa, Marcos Bernardelli (PSDB), "mantenha sua palavra" e só adote a medida caso haja unanimidade entre os líderes de bancada.

A partir daí, a vereadora recebeu uma enxurrada de críticas de seus pares. O primeiro a se posicionar foi Jorge Schneider (PTB). Ele citou o Posicionamento de Mariana no aumento de quatro para sete comissionados por gabinete, em 2017 - ela foi contra o aumento, mas nomeou os três assessores a que passou a ter direito posteriormente. "Vem aqui e fica fazendo média", disse Schneider.

Até o presidente Marcos Bernardelli cutucou. "Tem que ter coerência", afirmou. Luiz Cirilo (PSDB), Paulo Haddad (PHS) e Edison Ribeiro (PSL) também criticaram a vereadora. "Se for aprovado, quero ver você (Mariana) doar seu 13º para instituições de caridade. Se não quer, abra mão", disse Ribeiro. 

Os vereadores também defenderam a medida, dizendo que o 13º é um direito de todo trabalhador. "E eu pelo menos sei que trabalho", disse Schneider. Na segunda parte da sessão, Mariana respondeu aos ataques.

"Eu votei contra o aumento dos cargos comissionados de uma Câmara que funciona como base do prefeito. Sou contra a nomeação de cargos para referendar tudo o que o prefeito faz. Mas nós temos bons profissionais aqui. Quem deve julgar a competência da minha equipe é o munícipe", afirmou.

O vereador Marcelo Silva (PSD) também é contra a medida. "Isso é uma medida do governo em conjunto com a Presidência da Câmara para esconder os problemas da cidade, a corrupção no Ouro Verde, aumento abusivo do IPTU. Só veio para tumultuar e tirar o foco dos problemas da cidade", afirmou.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON