Aguarde...

ACidadeON Campinas

Campinas
mín. 20ºC máx. 36ºC

cotidiano

Protesto de motoristas fecha terminais de ônibus em Campinas

Manifestação de motoristas da VB1 afeta linhas nos terminais do Ouro Verde e Vila União; problema foi causado por acordo aceito pelo presidente do sindicato, e não avalizado pela categoria

| ACidadeON Campinas

Terminal Ouro Verde foi primeiro local onde motoristas cruzaram os braços (Foto: Luciano Claudino/Código19) 

Protestos realizados por motoristas da VB1 Transporte e Turismo fecharam os terminais do Ouro Verde e da Vila União na tarde desta sexta-feira (7), em Campinas.

No Terminal do Ouro Verde, a paralisação começou por volta das 14h30. No ato, os condutores que operam as linhas da empresa impedem a saída dos demais veículos de ambos os terminais. A GM (Guarda Municipal) foi acionada pelas equipes de Fiscalização da Emdec.

O Terminal Ouro Verde atende, diariamente, uma média de 65 mil usuários. Por ele, circulam 28 linhas do transporte público coletivo. Pelo Terminal Vila União, circulam sete linhas do transporte público, com 30 mil usuários atendidos diariamente.

"A Emdec toma todas as medidas operacionais cabíveis para que a situação seja prontamente solucionada e os usuários do transporte público não sejam prejudicados pela manifestação", disse a empresa, em nota.

O problema ocorreu, segundo vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Campinas, Izael Soares de Almeida, porque o presidente da entidade teria aprovado uma proposta no sindicato tirando os R$ 400 que os motoristas recebiam a mais no salário por ocupar também a função de cobrador, substituindo o pagamento por um vale-alimentação no mesmo valor. No entanto, esse novo benefício será taxado e não recebeu a aprovação da categoria.

"Era para ter sido pago hoje, o que não ocorreu. Por isso os motoristas estão revoltados. Houve a substituição por um vale-alimentação, mas isso não paga as contas. Antes a categoria já tinha vale-refeição e cesta básica", afirmou Almeida.

No Terminal do Ouro Verde, dois ônibus pegaram fogo durante a manifestação. Ninguém ficou ferido.  



O QUE DIZ O SETCAMP

Em nota, o SetCamp (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas) disse que "é inadmissível que os usuários do transporte urbano em Campinas sejam prejudicados por questões internas que envolvem a disputa de poder no Sindicato dos Rodoviários".

Segundo o SetCamp, na terça-feira desta semana, os trabalhadores da categoria, em assembleias realizadas às 10h e às 16h, aprovaram um reajuste de 5% sobre o salário do dia 1º de maio, além do atendimento da reivindicação de transformar o vale-refeição em vale-alimentação e, no caso específico dos motoristas, ficou estabelecido o pagamento de vale-refeição no valor de R$ 400 no dia 15 de todo mês.

"O reajuste dos salários, inclusive, superou o índice inflacionário de 4,76% (IPC), ou seja, em um cenário de crise econômica e desemprego, as concessionárias atenderam a reivindicação da categoria. Nem as transportadoras e tampouco a população que depende do transporte podem ficar reféns e aceitar a situação atual, na qual existe uma disputa pelo poder dentro do sindicato", disse Paulo Barddal, diretor de comunicação do SetCamp.

Ainda de acordo com as empresas, o SetCamp e o Sindicato dos Rodoviários assinaram na quarta-feira o acordo coletivo de trabalho e todas as concessionárias efetuaram o pagamento dos salários dentro do prazo estabelecido na assembleia, cuja decisão é soberana.

"O problema desse sindicato e da categoria não pode afetar a comunidade. Nesta semana, foram realizados dois protestos, um na quarta-feira, quando a garagem da VB1 ficou parada por uma hora e 10 minutos. E, hoje, inexplicavelmente, o setor teve um novo problema ocasionado por motoristas dessa empresa", afirmou Barddal.

O SetCamp diz que estuda medidas jurídicas para que os responsáveis pelo desserviço prestado à população sofram as consequências dos seus atos irresponsáveis. Segundo o sindicato, apenas 50 dos 480 motoristas estão paralisados.   

O sindicato afirmou também que caso os motoristas não voltem ao trabalho imediatamente, a concessionária VB1 iniciará processo de demissão por justa causa.



INVESTIGAÇÃO

Na semana passada o sindicato foi alvo de uma operação da Polícia Civil que investiga crimes de furto qualificado, organização criminosa e lavagem de dinheiro na entidade. Também na semana passada houve uma confusão em frente ao sindicato e teve que haver intervenção da GM. Durante a briga houve agressão. O caso foi parar na delegacia.

Comentários

"O site não se responsabiliza pela opinião dos autores. Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do ACidade ON. Serão vetados os comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. ACidade ON poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios deste aviso."

Facebook

Mais do ACidade ON