Aguarde...

ACidadeON

Voltar

cotidiano

Largo do Rosário recebe último ato do dia de greve geral em Campinas

Manifestação faz parte de ato convocado para hoje em todo o país que tem como pauta principal a Reforma da Previdência

| ACidadeON Campinas

Largo do Rosário recebe último ato da greve geral em Campinas (Foto: Luciano Claudino/Código19) 

A greve geral em Campinas encerra seus atos no começo da noite desta sexta-feira (14) no Largo do Rosário, no Centro da cidade. Centenas de manifestantes se reuniram no local. Durante todo o dia diversas manifestações foram registras no município.  

Por volta das 18h50, o grupo de manifestantes deixou o Largo do Rosário e iniciou uma caminhada pela Francisco Glicério, interditando a via. Por volta das 19h35, eles deixaram a Moraes Salles e entraram na Irmã Serafina - enquanto alguns manifestantes ainda sequer deixaram a Glicério. Na Irmã Serafina, eles ocupam as duas pistas. 

Por volta das 20h, o protesto foi encerrado em frente à Prefeitura.

A manifestação faz parte de uma greve geral convocada para hoje em todo o país que tem como pauta principal a Reforma da Previdência, criticada pelas centrais sindicais que organizam os protestos, mas também se opõe aos cortes na Educação.

O primeiro ato ocorreu quando um grupo de manifestantes montou uma barricada e ateou fogo bloqueando a Rodovia Anhanguera, próximo ao trevo da Bosch, sentido capital. Segundo a concessionária que administra a via, CCR Autoban, por volta das 6h30, já havia reflexo de trânsito entre os kms 98 ao 102, próxima alça de acesso à D. Pedro.

Os manifestantes também fecharam a saída da Avenida Lix da Cunha na saída para Monte Mor, que acabou ficando parada. Os manifestantes atearam fogo em pneus e pedaços de madeira em três pontos no trevo da Bosch.  



EM BARÃO

A concessionária que administra a via, Rota das Bandeiras, informou que teve que fechar, por volta das 8h, o acesso do Tapetão para Barão e por isso, os motoristas acabaram tendo que entrar no distrito pelo acesso do Real Parque. No local, por volta as 8h30, o congestionamento chegava a cinco quilômetros, entre os kms 111 e 116 (entre a igreja Nossa Senhora Desatadora dos Nós e o acesso ao Real Parque).

Também foi bloqueado o acesso ao distrito, dos motoristas que saiam da Rodovia D. Pedro e tentavam entrar no local pela alça de acesso. Os veículos foram direcionados também para continuarem na Zeferino(sentido Paulínia). Eles puderam acessar o distrito também pelo Real Parque.

Por volta das 7h manifestantes fecharam a entrada do distrito de Barão Geraldo, no acesso para os motoristas que chegam pela Rodovia Zeferino Vaz, mais conhecida como Tapetão. Por causa do bloqueio, por volta das 8h a pista, sentido Barão Geraldo/Paulínia, estava praticamente parada.  



CONFUSÃO


Uma confusão com uma suposta agressão entre guardas municipais e manifestantes que entravam no Terminal de ônibus de Barão Geraldo será apurada pela Secretaria de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública.

Um vídeo mostra a ação de um guarda, na entrada do terminal, que tenta barrar a entrada de manifestantes com bandeiras no local. No vídeo ele aparece tentando arrancar uma bandeira de uma manifestante. Como ela se recusa a entregar, ele a segura pelo braço e derruba no chão. Ela ainda diz ao GM: "Me solta".

Na cena ainda é possível ver outra guarda que se aproxima e puxa a bandeira das mãos da jovem que fica caída. Outros manifestantes e guardas se aproximam e ficam ao redor deles. Na sequência a confusão acaba e, os manifestantes seguem.  



TRANSPORTE PÚBLICO

Pela manhã os ônibus operados pela empresa VB1 Transportes saíram com atraso de uma hora do terminal da Vila União, em Campinas, na manhã desta sexta-feira.

Mais do ACidade ON