Publicidade

cotidiano

Fake news: Campinas não terá rodízio de carros na próxima semana

Áudio que circula nas redes sociais foi retirado de contexto

| ACidadeON Campinas -

Trânsito na região central de Campinas. (Foto: Denny Cesare/Código 19)

Tem circulado pelas redes sociais nos últimos dias um áudio do prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), declarando que Campinas terá rodízio de carros a partir da próxima semana. A informação vem acompanhada de uma frase afirmando que a medida passará a valer a partir da próxima segunda-feira, dia 4 de janeiro, no entanto, a informação se trata de uma fake news, ou seja, não é verdadeira.  

O áudio que circula principalmente em grupos de WhatsApp, foi retirado de uma transmissão nas redes sociais em que Jonas, junto com o Secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, fizeram em maio deste ano

Na época, o prefeito chegou a anunciar que o rodízio de veículos passaria a valer a partir do dia 18 de maio (que seria a segunda-feira seguinte ao anúncio), mas a medida não avançou, sendo que Jonas cancelou o rodízio e decidiu por antes encaminhar o projeto do rodízio para votação na Câmara Municipal. Na época, vereadores chegaram até mesmo a entrar na Justiça contra a medida (leia mais aqui)
 
LEIA TAMBÉM 
Campinas tem aumento de 63% nos casos de estupro em novembro 
Mesmo com vacina, pandemia de coronavírus deve seguir por boa parte de 2021

Na Câmara, o projeto não avançou, sendo que nem mesmo chegou a ser votado pelos vereadores, e está ainda em análise das comissões responsáveis, sem prazo para a votação (lembrando que a Câmara está em recesso parlamentar até fevereiro, e até lá, nenhum projeto deve ser aprovado). Ou seja, Campinas não terá rodízio de veículo para a contenção da disseminação do coronavírus a partir da primeira semana de janeiro. 
 
PREFEITURA CRITICA

Em nota, a Prefeitura rebateu a disseminação da mensagem, afirmando que a informação não procede e "trata-se de uma notícia falsa, a partir de montagens grotescas feitas por pessoas que agem com má-fé".

Mais notícias


Publicidade