Publicidade

cotidiano

Temporal: Campinas entra em estado de atenção após chuva intensa

Cidade acumula 166,6 milímetros de chuva nas últimas 72 horas

| ACidadeON Campinas -

Avenida Princesa d'Oeste ficou alagada (Foto: Reprodução)


Campinas entrou em estado de atenção nesta quinta-feira (27) após registrar 166,6 milímetros de chuva no acumulado das últimas 72 horas, o que eleva o risco de deslizamentos de terra e transtornos na cidade. O aviso foi divulgado durante a manhã pela Defesa Civil estadual.

Segundo a corporação, no pluviômetro do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais) a medição chegava a quase 165 milímetros durante na madrugada, às 5h10. O estado de atenção é colocado quando a cidade atinge mais de 80 milímetros acumulados.

Ontem, a forte chuva causou transtornos na cidade, e a previsão é de chances de temporais também nesta quinta (leia mais abaixo).

Outras cidades da região também foram colocadas em estado de atenção, como é o caso de Paulínia, com 82,5 milímetros de chuva acumulados e Jaguariúna, com 84 mm. As demais cidades da RMC (Região Metropolitana de Campinas) permanecem em estado de observação.

TRANSTORNOS

Campinas registrou novos estragos após o forte temporal que atingiu a cidade, pelo segundo dia seguido, na noite de ontem (26). Casas ficaram alagadas, carros ilhados e árvores e muros caíram em diversos pontos da cidade.

O Hospital Municipal Dr. Mário Gatti foi um dos pontos alagados por causa da chuva que entrou no prédio. A Prefeitura, no entanto, afirmou que os serviços não foram afetados e não haverá suspensão dos atendimentos.

Segundo a Defesa Civil, o índice de chuva foi de 77,6 milímetros. Já o acumulado em 24h foi de 115,4 milímetros. 



PONTOS ALAGADOS

As avenidas Princesa d'Oeste, na região do Guarani e o Piçarrão também ficaram novamente alagadas. Um carro e uma moto que tentavam atravessar o Piçarrão ficaram ilhados. Um veículo chegou a ser levado pela força da água na Princesa d'Oeste. Outros motoristas tiveram que voltar e esperar a água baixar para seguirem pelo caminho. O Corpo de Bombeiros confirmou que atendeu outras ocorrências de pessoas ilhadas dentro de veículos.

Vias da região Central também ficaram alagadas, com ruas e avenidas que lembravam rios. As avenidas Camucim e Ruy Rodrigues também ficaram alagadas devido a forte enxurrada.

Durante a manhã desta quinta-feira (27) pontos da marginal do Piçarrão continuavam interditados por causa de concretos que foram arrancados por causa da força da água. 

PREVISÃO  

Segundo o Cepagri, as chances de temporais persistem hoje, por causa das condições termodinâmicas favoráveis, que podem causar desenvolvimento de nuvens profundas. O risco de tempestades aumenta mais ao final da tarde e início da noite.

De acordo com os meteorologistas do Centro, ao longo da sexta-feira, a organização de um canal de umidade proporciona maior nebulosidade e chuvas especialmente a partir da tarde, que devem ter um caráter mais uniforme, bem distribuídas espacialmente e recorrentes ou persistentes.

Mais notícias


Publicidade