Aguarde...

cotidiano

Campinas confirma quarto caso de coronavírus; casos suspeitos sobem

Ela não tem histórico de viagem. Na manhã desta sexta-feira, 192 casos encontravam-se em investigação no município

| ACidadeON Campinas

 

Testes para o coronavírus são fabricados pela Fundação Oswaldo Cruz (Foto: Josué Damacena/IOC/Divulgação)

A Secretaria de Saúde confirmou na manhã desta sexta-feira (20) o quarto caso de infecção pelo novo coronavírus em Campinas. A paciente, uma mulher de 66 anos, teve início de sintomas no dia 13 de março. Ela está em isolamento domiciliar e passa bem. Seus contactantes estão sendo monitorados. Ela não tem histórico de viagem e por isso é o primeiro caso de transmissão comunitária na cidade. 

Na manhã desta sexta-feira, 192 casos encontravam-se em investigação no município. Outros 39 haviam sido descartados, segundo a secretaria. 
 
LEIA TAMBÉM 
Jonas diz que pode fechar comércios, mas hesita em conceder benefícios
Shoppings de Campinas fecham para o público nesta quinta
Confira aqui a cobertura completa sobre o coronavírus em Campinas


Os outros três casos confirmados em Campinas são de uma jovem que contraiu a doença na Bahia e teve o exame positivo em 13 de março; de uma mulher de 48 anos, que voltou de viagem da Europa em 8 de março e teve o caso confirmado em 16 de março; e de uma mulher de 37 anos, que viajou para o Canadá e teve o caso informado na quarta-feira, dia 18 de março. As pacientes com Covid-19 estão clinicamente bem.

LEITOS 

A Secretaria de Saúde informou que entre as medidas que vem adotando em relação ao novo coronavírus vai monitorar o número de atendimentos por síndrome gripal nos 66 Centros de Saúde do município. O objetivo é avaliar a tendência de ocorrência de síndromes gripais e o impacto na rotina dos serviços para adotar medidas para não sobrecarregar os serviços (leia mais aqui).

Também vai intensificar o monitoramento de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAGs) nos serviços de urgência e emergência dos 18 hospitais públicos e privados da cidade e a taxa de ocupação dos leitos de cada um dos serviços por doença respiratória. O objetivo é avaliar a proporção de casos graves por doença respiratória e taxa de ocupação e a disponibilidade de leitos para compreender o cenário de leitos disponíveis para internação, em enfermarias e UTIs e adotar medidas, como a abertura de novos leitos, se necessário.

Mais do ACidade ON