Aguarde...

cotidiano

Campinas confirma mais uma morte e 64 casos de coronavírus

Cidade se aproxima dos mil casos confirmados de covid-19; nova morte é de homem de 79 anos com doenças anteriores

| ACidadeON Campinas

Tudo sobre o coronavírus na nossa região e no Brasil 

Campinas confirmou na tarde desta terça-feira (19) mais uma morte por covid-19 no município, chegando, então, a 43 óbitos pela doença. Além disso, houve aumento de 64 novos casos confirmados - o que deixa a cidade a ponto de bater mil casos da doença diagnosticados por meio de testes rápidos ou PCR. Agora, são 967.

A nova morte registrada é de um homem de 79 anos que tinha outras doenças. Ele morreu no dia 15 de maio em hospital público. O exame foi feito no Instituto Adolfo Lutz, também público. Em relação aos óbitos em investigação, são nove casos a menos. Agora são 12 mortes que continuam sendo investigados.

Ainda ontem, Campinas registrou seis novas mortes em apenas um dia (recorde desde o início da quarentena). "Confirma-se o que falei no domingo. Essa semana vamos passar dos mil casos confirmados. Era esperado, mas é uma trajetória ascendente. Temos notícias boas e ruins. Estamos subindo", disse o prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB).

De acordo com o novo balanço epidemiológico divulgado hoje, há aumento também nos casos em investigação: foram acrescidas 60 pessoas a mais. Já em relação ao casos descartados, são 14 a mais, passando a 1.805. 

LEIA TAMBÉM 
Campinas terá "feriadão" entre os dias 25 e 27 de maio
Paciente de 67 anos tem alta após vencer coronavírus

MAIS DADOS

Entre as internações de coronavírus, há quatro a menos (total de 74 agora). Em isolamento domiciliar, há também 30 a menos (32). "Estamos entrando na fase mais difícil da pandemia, com ocupação maior de leitos, de retaguarda principalmente. Temos procurado acompanhar essa necessidade. É importante para nós não gerar dificuldade de acesso. Temos que garantir acesso e de qualidade. Mas estamos vivendo o maior crescimento de casos na cidade", disse o secretário de Saúde Carmino de Souza.

Ele também afirmou que o número crescente rápido se deve também ao fato do resultados dos testes para diagnosticar covid-19 estarem mais ágeis.

Mais do ACidade ON