cotidiano

Especial coronavirus

Estado promete ampliar leitos de UTI-Covid em Campinas e no AME

Cidade deve ter ampliação de 30 leitos em meio a lotação de hospitais; governador de São Paulo, João Doria, esteve em Campinas para início de vacinação

| ACidadeON Campinas -

Governo estadual anunciou mais leitos nesta segunda-feira (18) para Campinas (Foto: Denny Cesare/Código19) 

Após a ocupação dos hospitais de Campinas voltar a subir devido ao aumento de casos de covid-19 nas últimas semanas - inclusive fazendo com que o HC (Hospital de Clínicas) da Unicamp suspendesse o atendimento - o governo estadual prometeu nesta segunda-feira (18) aumentar o número de leitos de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) para coronavírus.

O anúncio foi feito durante o início de vacinação contra a covid em Campinas hoje, nos profissionais de saúde da linha de frente do HC. Nesta segunda, a técnica de enfermagem do HC Liane Santana Mascarenhas Tinoco foi a 1ª vacinada em Campinas - leia mais aqui.

Segundo o secretário de Desenvolvimento Regional de São Paulo, Marco Vinholi, Campinas deve ter a contratação de mais 30 leitos nos próximos 15 dias.

Além disso, o AME (Ambulatório Médico Legal) deve voltar a receber pacientes graves de covid-19, como ocorreu no ano passado. "Teremos aumento de leitos aqui para a região de Campinas, como foi ao longo de toda a pandemia. Fizemos uma reunião com a prefeitura, e também no HC e no AME", disse.

Vinholi afirmou que isso também ocorrerá na região. "Já reestabelecemos a situação em Sumaré (no HC)", afirmou. Hoje, mesmo com mais leitos, a ocupação de UTI-Covid de Campinas atingiu 87,71% - leia mais aqui.

POLÍTICA

Além do anúncio de mais leitos e da 1ª vacinada, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afastou a politização da Coronavac - que foi liberada emergencialmente pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no domingo (18).

Ele afirmou que agora não é momento de processo eleitoral e nem de eleição, e nem mesmo de política. "Com todo o respeito, agora é hora de falar de vacina. Precisamos vacinar todos os brasileiros. Foco total na vacinação. 22 em 22 (sobre 2022)", disse.

Publicidade