Aguarde...

cotidiano

Educação estuda mudar aulas presenciais da rede municipal para março

Programada para ocorrer no dia 8 de fevereiro, a retomada pode ocorrer somente em março

| ACidadeON Campinas

José Tadeu Jorge, secretário de Educação (Foto: Divulgação) 

A Secretaria de Educação de Campinas está reavaliando a data do retorno presencial das aulas da rede municipal. Programada para ocorrer no dia 8 de fevereiro, a retomada corre o risco de acontecer somente em março. 
 
LEIA MAIS 
Estado anuncia nova reclassificação de fase na próxima sexta-feira
 
Após reclamação de funcionários, linha 369 terá horário ampliado

A reavaliação veio após os prefeitos do Conselho de Desenvolvimento da RMC (Região Metropolitana de Campinas) votarem um ofício que será enviado ao governo estadual apontando o retorno das aulas presenciais apenas a partir de 1º de março.

De acordo com o Conselho, a deliberação levou em conta decisão de Câmara Temática de Secretários de Educação e também prevê o uso dos protocolos definidos pelo governo estadual. Na reunião, ficou decidido que a região irá trabalhar com um limite de 35% de alunos em dias alternados de aula, uso de máscaras e álcool em gel, entre outros.  O Estado anunciou, no dia 13 deste, mês, que as salas de aula podem ter até 70% de alunos. 

O prefeito de Campinas, Dário Saadi (Republicanos), inclusive, votou junto com os outros prefeitos para que esse adiamento ocorra. O secretário de Educação, José Tadeu Jorge, foi procurado para comentar o tema, mas foi informado que ele não estava na cidade nesta quarta-feira (20).

COMO ESTAVA PREVISTO 

As aulas presenciais estão suspensas desde março de 2020 por causa da pandemia de coronavírus e agora serão retomadas com regras de proteção contra a Covid-19. Segundo a Prefeitura, no comunicado divulgado no dia 14 deste mês, haverá redução de horário e revezamento de turmas, para garantir o distanciamento social, e rigorosos protocolos sanitários, seguindo orientação das autoridades de saúde.

O cronograma prevê, neste primeiro momento, um retorno híbrido, com aulas presenciais e por meio da plataforma digital. O retorno presencial é facultativo ao aluno.

As turmas serão divididas: metade da sala vai para a escola uma vez por semana enquanto a outra metade fica em casa. Depois, os alunos se revezam, quem estava em casa, tendo aula on-line, vai para a escola.

INTEGRAL

Já os alunos da Educação Integral, do Ensino Fundamental, terão aulas presenciais todos os dias. No entanto, as turmas serão divididas em dois períodos: metade frequenta a escola no período da manhã e o restante à tarde.

Em virtude da constante necessidade de higienização de todos os espaços das escolas, o que inclui maçanetas das portas e carteiras, por exemplo, o período de aula será de três horas diárias. Antes da pandemia eram cinco horas.

Nos dois turnos serão oferecidas duas refeições: café da manhã e almoço ou almoço e café da tarde.


Mais notícias



Mais notícias do ACidade ON