cotidiano

Especial coronavirus

Com aumento de covid em grávidas, Maternidade tem 100% de lotação

Duas pacientes, no pós-parto, estão intubadas no hospital; cinco bebês também estão na UTI-Neonatal com covid-19

| ACidadeON Campinas -

A Maternidade de Campinas (Foto: Denny Cesare/Código19) 

A Maternidade de Campinas anunciou nesta quarta-feira (31) que está com 100% de lotação nos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) com pacientes grávidas ou no período pós-parto que testaram positivo para covid-19.

Segundo o presidente da instituição, Marcos Miele, a UTI é considerada 100% lotada porque cinco de seis mulheres internadas estão com a doença. Ou seja, uma sexta gestante (que não tem o vírus) não poderá usar a vaga vazia, pois a ala está com pacientes contaminadas com coronavírus.

Além disso, duas mulheres no período do pós-parto estão intubadas. Já na UTI Neo-Natal, há cinco bebês infectados com covid-19, que são das mães que estão internadas. Na semana passada, uma mulher de 28 anos, com diabetes, morreu na Maternidade com coronavírus.


O bebê da vítima continua internado na UTI Neonatal, mas evoluiu bem nos últimos dias. De março a dezembro, 126 gestantes apresentaram suspeitas de coronavírus, sendo que 52 testaram positivo, segundo o hospital. Por mês, a Maternidade realiza cerca de 850 partos.

"Essa mudança de cenário ocorreu por conta da variante de Manaus. É mais virulenta, mais agressiva, e tem uma taxa de transmissibilidade muito mais alta. Pelo menos o dobro em relação à primeira onda", disse Miele.


O presidente explicou que toda vez que uma gestante acaba evoluindo para uma insuficiência respiratória, o parto é realizado - muitas vezes de forma prematura - para preservar a vida da mãe e do bebê. "Por isso esses recém-nascidos estão na UTI. Neste ano, é o pior momento para nós da pandemia", afirmou.

SEGUNDA MORTE DE GESTANTE

De acordo com o Devisa (Departamento de Vigilância de Campinas), há uma segunda morte de gestante que havia acabado de fazer o parto com covid na cidade, mas a prefeitura não revelou em qual hospital o óbito foi registrado.


Mais notícias


Publicidade