Aguarde...

colunistas e blogs

BLOG: Abraciclo revê para cima produção e venda de motos

Alta demanda fez Associação estimar crescimento de 13,8% no volume de vendas no varejo, em relação a 2018

| Especial para ACidade ON

Motocicletas da categoria street lideraram as vendas este ano, seguida da categoria trail
A retomada na produção de motocicletas levou a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares Abraciclo a revisar pela segunda vez as projeções para 2019. A nova estimativa para produção total de 2019 é de 1.105.000 unidades, correspondendo a uma alta de 6,6% na comparação com o volume produzido em 2018 (1.036.788 unidades). A projeção anterior, apresentada em abril, apontava 1.100.000 unidades para o presente ano. Desde o começo do ano, as motocicletas estilo street são as mais vendidas no país, seguido pela categoria trail.

Também foram revistos para cima os volumes de vendas no atacado e no varejo. No atacado a nova expectativa é de aumento de 11,8%, saltando das 957.764 motocicletas repassadas das fábricas para as concessionárias em 2018 para 1.071.000 unidades até o final deste ano. A estimativa anterior era de 1.060.000 motocicletas.

No varejo, a nova projeção é 1.070.000 motocicletas emplacadas neste ano, representando um aumento de 13,8% ante as 940.108 unidades licenciadas no ano passado. A estimativa anterior era de 1.020.000 unidades.

A associação também revisou os dados referentes às exportações. O novo levantamento estima embarque de 34.000 motocicletas, significando um recuo de 40,5% ante as 57.131 unidades registradas em 2018. Em abril a expectativa era de 40.000 unidades.

Crédito

De acordo com Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, o desempenho positivo do mercado interno foi a principal razão para a revisão das projeções para este ano. "A maior oferta de crédito, com taxas de juros mais atrativas e novos players, como os bancos digitais, aumentou o interesse do consumidor pela aquisição de um modelo 0 km. Esse quadro também foi estimulado pela apresentação de novos modelos no mercado, mais modernos, com novos recursos tecnológicos e design renovado." 

Uso da motocicleta se constitui em uma forma de lazer e mobilidade urbana  (Foto: Divulgação)
Fermanian acrescenta que "ainda contribuiu para esta alta a procura pelos consumidores por alternativas para a mobilidade urbana, com preferência por modos de locomoção de maior rapidez nas grandes cidades. A motocicleta traz grandes vantagens neste quesito, além de menores custos com combustível e manutenção."

PROJEÇÃO PARA 2020

A curva de crescimento apresentada durante todo o ano de 2019 deve se repetir no próximo ano. De acordo com as estimativas apresentadas pela Abraciclo, a produção em 2020 deverá alcançar 1.175.000 motocicletas, correspondendo a uma alta de 6,3% ante as 1.105.000 unidades projetadas para este ano.

O repasse de motocicletas das fábricas para as concessionárias deve somar 1.145.000 unidades, aumento de 6,9% em relação às 1.071.000 unidades que deverão ser vendidas no atacado em 2019. No varejo, a expectativa é de aumento de 6,5%, passando de 1.070.000 para 1.140.000 unidades em 2020.

As exportações deverão continuar em queda. Os embarques deverão somar em 2020, segundo a Abraciclo, 30.000 unidades, representando uma queda de 11,8% na comparação com as 34.000 unidades esperadas para o presente ano. No quadro geral, Marcos Fermanian avalia que "desde o ano passado o setor de motocicletas dá sinais concretos de recuperação. Ela começou em 2018, se consolidou em 2019 e deve seguir em 2020. Porém ainda estamos longe de alcançar o patamar de 2011, quando ultrapassamos o volume de dois milhões de unidades produzidas".

Mais do ACidade ON