Publicidade

brasilemundo

STF nega pedido de relaxamento da prisão de mãe do menino Henry Borel

Ministro Edson Fachin indeferiu pedido da defesa

| ACidadeON Campinas -

Monique Medeiros da Costa e Silva e o filho, Henry Borel (Foto: Reprodução/Redes Sociais)

 

O ministro Edson Fachin, do STF (supremo Tribunal Federal), indeferiu pedido liminar de relaxamento de prisão preventiva de Monique Medeiros da Costa e Silva, mãe do menino Henry Borel, de 4 anos, morto em 8 março deste ano.  

Os advogados de Monique ajuizaram reclamação no STF, alegando que o 2º Tribunal do Júri da Justiça do Estado do Rio de Janeiro descumpriu determinação da Suprema Corte em relação às audiências de custódia, ao não realizar nova audiência depois da conversão da prisão temporária em preventiva.

Monique foi presa temporariamente junto com o ex-vereador Jairo Souza Santos Júnior, conhecido como Dr. Jairinho, em 8 de abril deste ano. Jairinho é acusado de homicídio triplamente qualificado.  

Além da morte de Henry, o ex-vereador foi denunciado pelo Ministério Público Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) em dois casos de torturas de filhos de ex-namoradas e por violência doméstica. No dia 30 de junho, Jairinho perdeu o mandato de vereador por quebra de decoro parlamentar, em decisão unânime dos vereadores da Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

A audiência de custódia do casal foi realizada no dia seguinte. Em 6 de maio, a medida foi convertida em prisão preventiva e, segundo a defesa, não houve nova audiência. 

Além de desrespeito à decisão do STF na Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 347, quando foi firmada a exigência das audiências de custódia, os advogados sustentavam que o caso de Monique está em desconformidade com a jurisprudência da Corte Interamericana de Direitos Humanos, em relação ao prazo de cinco dias para a realização do ato e pediu a concessão da medida liminar para a revogação da prisão preventiva.

DECISÃO 

Na decisão, o ministro Edson Fachin afirmou que o deferimento de liminar em reclamação é medida excepcional e somente se justifica quando a situação representar manifesto constrangimento ilegal, o que não se verificou no caso. Ele também não constatou ilegalidade evidente que permitisse a concessão da medida.

O ministro destacou, entretanto, que essa decisão não prejudica a análise futura do pedido, no julgamento do mérito da reclamação, após a manifestação da PGR (Procuradoria-Geral da República). (Com informações da Agência Brasil)

Publicidade

Últimas Notícias

Vídeo: funcionários de funerária reagem a assalto em Mogi Mirim
UE estima aprovar vacina contra nova variante da covid em 3 a 4 meses
Distrito Federal investiga caso suspeito da variante Ômicron
Índia promete mais vacinas contra covid à África após anúncio chinês
Com variante e nova onda na Europa, cidades brasileiras cancelam festas de réveillon
Ômicron: BH investiga se paciente vinda do Congo foi infectada pela variante
Resultado do Enem será divulgado em 11 de fevereiro
Principal resposta contra ômicron é vacinação, diz ministro
Cinquenta e dois pesquisadores da Capes anunciam renúncia coletiva
31 pesquisadores da Capes na área de avaliação anunciam renúncia coletiva
Maioria de vacinas doadas à África tem validade curta, dizem entidades
Venezuela terminará 2021 como o país mais pobre da América Latina
Inscrições para a segunda etapa do Revalida 2021 terminam hoje
Nova York se prepara para variante ômicron e decreta Estado de Emergência
Tubarão em Ubatuba: aumento de pessoas no mar pode explicar ocorrências
Reino Unido identifica dois primeiros casos da variante ômicron no país
Holanda detecta 61 casos em voos da África do Sul, onde variante preocupa
Ministério Público de MG recorre de decisão que transfere julgamento de Brumadinho
Anvisa recomenda restrigir voos da África do Sul e mais 5 países por variante
Com variante do coronavírus, Europa e Ásia reforçam fronteiras

Publicidade

Viu Essa?

Novo namorado de Jojo Todynho é oficial do Exército e estuda Engenharia Civil
Cena de Sophie Charlotte em Ti-Ti-Ti vira meme após 10 anos
Após fim da tutela, Britney Spears comemora por poder tomar a medicação certa

Mais notícias


Publicidade